Mário Zagallo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Mário Zagallo
Zagallo Foto: Valter Campanato/ABr.
Informações pessoais
Nome completo Mário Jorge Lobo Zagallo
Data de nasc. 9 de agosto de 1931 (83 anos)
Local de nasc. Maceió, (AL), Brasil
Apelido Formiguinha (como jogador)
Velho Lobo
Informações profissionais
Clube atual sem clube
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1948–1949
1950–1958
1958–1965
Brasil America
Brasil Flamengo
Brasil Botafogo
Seleção nacional
1958–1964 Brasil Brasil 00036 000(5)
Times que treinou
1966–1970
1967–1968
1970–1974
1971–1972
1972–1974
1975
1976–1978
1978
1979
1980–1981
1981–1984
1984–1985
1986–1987
1988–1989
1989–1990
1990–1991
1991–1994
1994–1998
1999
2000–2001
2003–2006
Brasil Botafogo
Brasil Brasil
Brasil Brasil
Brasil Fluminense
Brasil Flamengo
Brasil Botafogo
Kuwait Kuwait
Brasil Botafogo
Arábia Saudita Al Hilal
Brasil Vasco da Gama
Arábia Saudita Arábia Saudita
Brasil Flamengo
Brasil Botafogo
Brasil Bangu
=Emirados Árabes Unidos Emirados Árabes
Brasil Vasco da Gama
Brasil Brasil (coordenador)
Brasil Brasil
Brasil Portuguesa
Brasil Flamengo
Brasil Brasil (coordenador)

Mário Jorge Lobo Zagallo (Maceió, 9 de agosto de 1931) é um ex-futebolista e treinador brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Jogador[editar | editar código-fonte]

Atuando como ponta-esquerda, conquistou títulos de campeão carioca e foi convocado para a seleção brasileira, que disputaria a Copa do Mundo de 1958 na Suécia. Era o armador pela esquerda, o desafogo da defesa, o idealizador do contra ataque, o ajudante no lateral, o formiguinha do time campeão do mundo. Como jogador foi tricampeão pelo Flamengo, bicampeão pelo Botafogo e bicampeão mundial pela seleção brasileira. No Botafogo participou da fase áurea do time, jogando ao lado de astros como Garrincha, Didi e Nilton Santos.

Seus títulos cariocas e a conquista da Taça Brasil o levaram a seleção brasileira de futebol. Com ele o Brasil inovou taticamente e jogou em 1958 no esquema 4-3-3, pois Zagallo era um ponta esquerda que recuava para ajudar no meio-de-campo. Nessa Copa e na seguinte (1962) deixou na reserva Pepe, grande astro do Santos e companheiro de Pelé.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Meses depois de aposentar-se como jogador em 1966, iniciou a carreira de treinador da categoria juvenil do Botafogo,[1] iniciando sua longa carreira.

Em clubes treinou o próprio Botafogo em quatro oportunidades, Flamengo por três vezes, Vasco da Gama por duas vezes, Fluminense, Al Hilal, Bangu e Portuguesa.

Em seleções nacionais comandou a Seleção Brasileira por três vezes, Seleção do Kuwait, Seleção Saudita e Seleção dos Emirados Árabes Unidos. Seu último trabalho foi como coordenador técnico de Carlos Alberto Parreira na Seleção Brasileira.

Número 13[editar | editar código-fonte]

Apegado publicamente ao número treze desde a época de jogador, revelou que isto originou-se com sua esposa, que era devota de Santo António, comemorado em 13 de junho. [2]

Outros Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como Jogador[editar | editar código-fonte]

America-RJ[editar | editar código-fonte]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

  • Rio de Janeiro Torneio Início: 1951 e 1952
  • Rio de Janeiro Campeonato Carioca: 1953, 1954, 1955
  • Suécia Elfsborg Cup: 1951
  • Peru Torneio Quadrangular do Peru: 1952
  • Peru Troféu Cidade de Arequipa: 1952
  • Argentina Torneio Quadrangular da Argentina: 1953
  • Paraná Torneio Quadrangular de Curitiba: 1953
  • Rio de Janeiro Torneio Triangular do Rio de Janeiro: 1954
  • Brasil Torneio Internacional do Rio de Janeiro: 1954, 1955
  • Rio de Janeiro Torneio Gilberto Cardoso: 1955
  • Brasil Troféu Embaixador Oswaldo Aranha: 1956
  • Brasil Troféu Ponto Frio: 1957
  • Brasil Taça Brasília: 1957
  • Brasil Troféu Almana Idrotts Klubben: 1957
  • Israel Torneio Quadrangular de Israel: 1958
  • Portugal Troféu Sporting Club de Portugal: 1958

Botafogo[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Como Treinador[editar | editar código-fonte]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Fluminense[editar | editar código-fonte]

Botafogo[editar | editar código-fonte]

AL-Hilal[editar | editar código-fonte]

  • Arábia Saudita Campeonato Saudita: 1979

Vasco da Gama[editar | editar código-fonte]

  • Rio de Janeiro Taça Gustavo de Carvalho: 1980
  • Espanha Troféu Colombino: 1980
  • Minas Gerais Torneio João Havelange: 1980
  • Portugal Torneio Ilha de Funchal: 1981
  • Rio de Janeiro Taça Ney Cidade Palmeiro: 1981
  • Rio de Janeiro Taça Adolpho Bloch: 1990
  • Gabão Torneio da Amizade: 1991
Seleção Árabia Saudita

Singapura Copa da Ásia: 1984[editar | editar código-fonte]

Bangu[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Único tetracampeão do mundo, Zagallo recebe homenagem do Botafogo Estadão (9 de agosto de 2011).
  2. Zagallo explica como começou o carinho pelo número 13 globoesporte.com (6 de janeiro de 2010).
  3. esportes.terra.com.br/ Luxemburgo vira estrela de reality show

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Mário Jorge Lobo Zagallo
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mário Zagallo