Segunda Guerra Fria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Segunda Guerra Fria [1][2][3] ou II Guerra Fria,[4][5] também chamada de Nova Guerra Fria,[6] refere-se a um estado de tensão política e militar entre a Rússia e o mundo ocidental, semelhante à Guerra Fria (um confronto global entre o bloco ocidental e o bloco oriental liderado pela União Soviética).

Algumas fontes utilizam o termo como um possível [7] ou pouco provável acontecimento futuro,[8] enquanto outras usaram o termo para descrever as renovadas tensões em curso, as hostilidades e a rivalidade política que se intensificou dramaticamente entre a Federação Russa, por um lado, e os Estados Unidos, a União Europeia e alguns outros países, por outro lado.[9] Enquanto algumas figuras notáveis como Mikhail Gorbachev advertiram em 2014 contra o contexto de confronto político Rússia-Ocidente devido a crise ucraniana,[10] de que o mundo estava à beira de uma Nova Guerra Fria, ou que uma Nova Guerra Fria já estava ocorrendo,[11] outros argumentaram que o termo não descreve com precisão a natureza das relações entre a Rússia e o Ocidente.[12] Embora as novas tensões entre a Rússia e o Ocidente possuam semelhanças com aquelas durante a Guerra Fria original, há também grandes diferenças, como o aumento dos laços econômicos da Rússia moderna com o mundo exterior, o que poderá limitar as ações da Rússia [13] e proporcioná-la a novos caminhos para exercer influência.[14] O termo Segunda Guerra Fria foi, portanto, descrito como um equívoco.[15]

Em janeiro de 2015, Gorbachev afirmou que os Estados Unidos estavam arrastando a Rússia numa Nova Guerra Fria e advertiu que a frieza nas relações poderia levar a um conflito armado.[16]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Mackenzie, Ryan (3 de outubro de 2015). «Rubio: U.S. 'barreling toward a second Cold War'». The Des Moines Register. USA Today 
  2. Bovt, George (31 de março de 2015). «Who Will Win the New Cold War?». The Moscow Times 
  3. Trenin, Dmitri (2 de março de 2014). «The crisis in Crimea could lead the world into a second cold war». The Guardian 
  4. Dmitri Trenin (4 de março de 2014). «Welcome to Cold War II». Foreign Policy. Graham Holdings 
  5. As Cold War II Looms, Washington Courts Nationalist, Rightwing, Catholic, Xenophobic Poland, Huffington Post, 15 October 2015.
  6. Simon Tisdall (19 de novembro de 2014). «The new cold war: are we going back to the bad old days?». The Guardian. Guardian News and Media Limited 
  7. Pavel Koshkin (25 de abril de 2014). «What a new Cold War between Russia and the US means for the world» 
  8. Lawrence Solomon (9 de outubro de 2015). «Lawrence Solomon: Cold War II? Nyet» 
  9. «Welcome to Cold War II». Foreign Policy. 4 de março de 2014 
  10. Conant, Eve (12 de setembro de 2014). «Is the Cold War Back?». National Geographic 
  11. Kendall, Bridget (12 de novembro de 2014). «Rhetoric hardens as fears mount of new Cold War». BBC News 
  12. Bremmer, Ian (29 de maio de 2014). «This Isn't A Cold War. And That's Not Necessarily Good». Time 
  13. Stewart, James (7 de março de 2014). «Why Russia Can't Afford Another Cold War». New York Times 
  14. «Putin's 'Last and Best Weapon' Against Europe: Gas». 24 de setembro de 2014 
  15. “The Cold War II: Just Another Misnomer?”, Contemporary Macedonian Defence, vol. 14. no. 26, June 2014, pp. 49-60
  16. «Gorbachev: US dragging Russia into new Cold War, which might grow into armed conflict». RT. 29 de janeiro de 2015