Rua 25 de Março

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rua Vinte e Cinco de Março)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde junho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rua 25 de Março 3.jpg
Subprefeitura:
Bairro: Mercado
(*):O início e o término do logradouro geralmente é indicativo, apontando as vias principais.
Rua 25 de Março 1.jpg
Típico tráfego de pedestres na região da 25 de Março, visto de um edifício comercial.

A rua 25 de Março, localizada na cidade de São Paulo, SP, considerada o maior centro comercial da América Latina,[1] pois consiste em um dos mais movimentados centros de compras varejistas e atacadistas da cidade.

Um dos grandes entraves do comércio local é o alto número de barracas de camelôs que disputam espaço com as lojas comerciais, vendendo os mais diversos produtos nacionais e importados, sem o reconhecimento oficial.

Nas suas proximidades existem diversas galerias que vendem produtos importados a baixo custo, com destaque aos aparelhos eletro-eletrônicos, podemos citar a Galeria Pagé, conhecida pela grande gama de produtos postos à venda, o Shopping 25 de Março, entre outros estabelecimentos comerciais.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Rua 25 de março, em São Paulo.

O primeiro registro aponta a existência da rua em 1865, em substituição à Rua de Baixo, fato revelado por Lineu Francisco de Oliveira no livro Mascates e Sacoleiros.[3]

A primeira grande enchente na região pode ter ocorrido em 1.° de janeiro de 1850 quando um temporal de seis horas aumentou o nível dos rios Tamanduateí e Anhangabaú e a água invadiu casas, causando a destruição de 27 delas, sendo 14 de taipa. Mais tarde, os rios foram desviados e canalizados, embora, até hoje, a região registre enchentes.[3]

Episódios de violência também marcam sua trajetória. Em 1908, um dono de uma loja de tecidos, Elias Farah, foi assassinado por um de seus empregados, um imigrante de Beirute chamado Miguel Traad. Farah foi estrangulado, esquartejado e colocado dentro de uma mala por Traad.[3]

Seu nome é uma homenagem dada pela Câmara Municipal e pelo Poder Executivo, referente ao dia em que foi redigida a primeira Constituição brasileira de 1824. Foi outorgada pelo imperador D. Pedro I.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ladeira Porto Geral com a Rua 25 de março em São Paulo.

Referências

  1. Vitrine 25 de Março
  2. Estadão. 25 de Março - A Torre de Babel do consumo. Visitado em 20 de fevereiro de 2011.
  3. a b c Livro revela 145 anos de história da 25 de Março - O Estado de S.Paulo, 25 de março de 2010 (visitado em 25-3-2010)
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.