Lista de partidos políticos em Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é uma lista de partidos, coligações e agremiações políticas de Portugal desde o primeiro liberalismo até à actualidade.

Lista de partidos e coligações activas[1] [editar | editar código-fonte]

Esta lista apresenta todos os partidos existentes reconhecidos pelo Tribunal Constitucional.

Com representação parlamentar na legislatura 2015-2019[2] [editar | editar código-fonte]

Esquerda[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
Bloco de Esquerda LeftBloc.svg B.E. Liderança coletiva (porta-voz: Catarina Martins) Fundado em 1998 depois da fusão entre o Partido Socialista Revolucionário (PSR) (trotskista), União Democrática Popular (UDP) (marxista-leninista), o Política XXI (PXXI) (marxista-leninista) e a Frente de Esquerda Revolucionária (Ruptura/FER) (trotskista), o Bloco de Esquerda assumiu-se como um movimento de ruptura dentro do panorama político português. Abordando questões fracturantes, como os direitos dos homossexuais ou a despenalização das drogas leves, o partido cresceu, sobretudo nos meios urbanos. Nos últimos anos, perdeu uma parte do verbalismo que o caracterizava e aproximou-se mais do perfil dos partidos tradicionais. O Bloco de Esquerda conta actualmente com 19 deputados na Assembleia da República. Atualmente, e após saída de João Semedo, o partido encontra-se dirigido por 6 coordenadores, dos quais Catarina Martins é a porta-voz. 1998
Partido Comunista Português Portuguese Communist Party official symbol.png PCP Jerónimo de Sousa Fundado em 1921, é o partido mais antigo e com a história mais longa. Fundado enquanto secção da Internacional Comunista, tornou-se na referência ideológica do operariado. Depois da ascensão da ditadura militar e mais tarde do regime ditatorial de Salazar, passou a trabalhar na clandestinidade e funcionou durante décadas como a única força organizada de resistência ao regime, apesar das vagas de repressão. O seu líder histórico foi Álvaro Cunhal. Tendo desempenhado um papel maior durante a Revolução de Abril, a queda do bloco socialista do leste da Europa enfraqueceu o partido, que no entanto conta ainda com uma influência maior junto do movimento sindical e nas regiões rurais do Alentejo e junto do operariado da cintura industrial de Lisboa. O Secretário-Geral do partido é Jerónimo de Sousa. O PCP conta actualmente com 15 deputados na Assembleia da República. O PCP é o partido mais à esquerda na assembleia da república. 1921
Partido Ecologista "Os Verdes" Partido Ecologista Os Verdes.PNG PEV Heloísa Apolónia Fundado em 1982, concorreu sempre em coligação com o PCP na Coligação Democrática Unitária. Apesar de ser um partido com uma reduzida influência social, tem um grupo parlamentar de dois deputados e conta com uma intervenção nas áreas do ambiente e da ecologia. É atualmente liderado por Heloísa Apolónia. 1982

Centro-esquerda[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
Partido Socialista Logo PS cor.jpg PS António Costa Fundado em 1973, à semelhança do Partido Social Democrata, é um partido de tradição social-democrata em Portugal. Há várias posições diferentes sobre as políticas do PS, que defende medidas de índole social-democrata mas que, tal como o PSD, sofreu uma viragem à direita nos anos seguintes à Revolução dos Cravos. O seu líder histórico é Mário Soares. Em 2015 passou a ter 86 deputados na Assembleia da República. Atualmente, António Costa é o líder partidário. 1973
Pessoas–Animais–Natureza Pessoas-Animais-Natureza logo.jpg PAN Liderança coletiva (porta-voz: André Silva) Fundado em 2009, intitula-se um partido de causas, defensor dos direitos das pessoas, dos animais e da natureza. Fundado em 22 de Maio de 2009 sob o nome Partido pelos Animais (PPA), foi inscrito oficialmente em 13 de Janeiro de 2011 no Tribunal Constitucional, pelo Acórdão nº 27/2011, sob a designação de Partido pelos Animais e pela Natureza(PAN). Nas eleições legislativas portuguesas de 2015, conseguiu o seu maior resultado de sempre, conseguindo eleger 1 deputado, pelo circulo de Lisboa. 2009

Centro-direita[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
Partido Social Democrata Logo PSD cor.PNG PPD/PSD Pedro Passos Coelho Fundado em 1974 por um grupo de deputados afectos à "Ala Liberal" da Assembleia Nacional. Inicialmente assumia-se como um partido de esquerda, mas com a consolidação e estabilização do regime democrático emanado após o golpe militar de 25 de abril de 1974, o PSD (tal como quase todos os principais partidos portugueses) deu a chamada "viragem à direita", pelo que é atualmente um partido do espectro da direita, maioritariamente conservador e liberal, e, de modo peculiar, combateu o coletivismo económico e os movimentos marxistas e comunistas, subsequentes à Revolução de 25 de Abril de 1974. Entre os líderes históricos encontram-se Francisco Sá Carneiro, Francisco Pinto Balsemão e Aníbal Cavaco Silva. Tem alternado com o Partido Socialista na chefia dos destinos do país, ora sozinho ora em coligações, tendo maior apoio no norte. É liderado atualmente por Pedro Passos Coelho e conta com 89 deputados na Assembleia da República. 1974
CDS – Partido Popular Cds simbolo 2.png CDS–PP Paulo Portas Fundado em 1974, o CDS é o partido com assento mais à direita do Parlamento embora a sua declaração de princípios declare que a sua ideologia é Centrista, uma vez que não acredita no Marxismo. Foi liderado por Diogo Freitas do Amaral e Adriano Moreira, entre outros. Depois de ter atravessado várias correntes ideológicas, o CDS voltou às origens e voltou a definir-se como um partido democrata-cristão. Tendo como pilares a defesa dos valores tradicionais de família e ao mesmo tempo a economia de mercado, o CDS é um partido que tem a sua base de apoio na classe média, principalmente nas regiões rurais a norte do país. O líder do partido é Paulo Portas. O CDS-PP conta actualmente com 18 deputados na Assembleia da República. 1974

Partidos sem representação parlamentar[3] [editar | editar código-fonte]

Extrema-esquerda[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses MRPP.png PCTP/MRPP António Garcia Pereira Fundado em 1970, é um partido de inspiração maoísta. Durante a Revolução dos Cravos, era um partido de alto perfil, principalmente devido à sua violência verbal e sua influência entre alguns grupos de estudantes, embora nunca tenha conseguido chegar aos 2% dos votos em nenhumas legislativas ou eleito um único deputado. Por essa razão é considerado "o maior dos mais pequenos". 1970
Partido Operário de Unidade Socialista Partido Operário de Unidade Socialista logo.jpg POUS Liderança coletiva Fundado em 1976, último colocado nas legislativas, com cerca de 0.1% dos votos, sendo um partido quase inexistente. É um partido trotskista português, que defende a ruptura com a União Europeia e a proibição dos despedimentos. Pertence ao Secretariado Internacional da Quarta Internacional (1993) (trotskista lambertista), uma das quartas internacionais existentes. Surge em 1974 com o nome de MUT, da alteração da denominacão do POUS. Em 1999 retomou a denominação original POUS. 1976
Movimento Alternativa Socialista Movimento Alternativa Socialista logo.png MAS Gil Garcia Fundado em 2000, é uma organização política trotskista portuguesa e é o resultado da fusão entre a Frente de Esquerda Revolucionária (FER), e os jovens activistas do movimento estudantil (Ruptura). 2000

Esquerda[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
LIVRE/Tempo de Avançar Partido LIVRE logo.png L/TDA Rui Tavares Fundado em 2014, na sequência do Manifesto para uma Esquerda Livre, é um partido político português. Os seus princípios fundadores são: Universalismo, Liberdade, Igualdade, Solidariedade, Socialismo, Ecologia e Europeísmo. Foi legalizado, com a designação LIVRE, pelo Tribunal Constitucional a 19 de março de 2014. 2014

Centro-esquerda[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
Partido Trabalhista Português Partido Trabalhista Portugues logo.jpg PTP Joana Amaral Dias Fundado em 2009, é um partido político português de Centro-esquerda, aprovado pelo Tribunal Constitucional de Portugal em 1 de julho de 2009. Existiram anteriormente pelos menos três partidos com denominações semelhantes: o Partido Trabalhista (1947), organização clandestina que tinha como secretário-geral o advogado Castanheira Lobo; o Partido Trabalhista Democrático Português (PTDP), anunciado em 3 de maio de 1974, o qual não se chegou a legalizar; e o Partido Trabalhista, fundado em 1979, todos entretanto extintos. 2009

Centro[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
Partido Democrático Republicano PDR.png PDR António Marinho e Pinto Fundado em outubro de 2014 pelo ex bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho e Pinto. Foi eleito eurodeputado pelo MPT em 2014, tendo deixado o partido algum tempo depois para formar o seu próprio partido. Defende uma reforma do sistema eleitoral e reforma do sistema de Justiça.. Foi aprovado pelo Tribunal Constitucional em Fevereiro de 2015. 2014
Juntos pelo Povo Juntos pelo povo - jpp 0.jpg JPP Filipe Sousa Fundado com origem num movimento do concelho de Santa Cruz, na Região Autónoma da Madeira, que disputou as eleições autárquicas de 2013 nesse concelho, conquistando a maioria absoluta, com Filipe Sousa como cabeça-de-lista, tendo por essa razão, o movimento converter-se em partido político, em Março de 2014, tendo submetido as mais de 10 mil assinaturas recolhidas (muito acima das 7 500 exigidas por lei) ao Tribunal Constitucional em Novembro de 2014. Foi formado com o propósito de concorrer às eleições legislativas regionais na Madeira em 2015, já que a Constituição da República Portuguesa não permite a candidatura de movimentos de cidadãos aos órgãos legislativos do país, nem sequer a existência de partidos regionais, ficando o JPP habilitado a disputar qualquer acto eleitoral em todo o país. O JPP ganhou 5 deputados nas eleições legislativas regionais na Madeira em 2015 tendo juntado 10,34% dos votos ou 13.229 votos. 2015
Partido Liberal Democrata Partido Liberal-Democrata logo.jpg PLD Francisco Oliveira Partido de centro, anteriormente conhecido como Movimento Mérito e Sociedade (MMS), fundada por um professor universitário do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), com as políticas para a sociedade meritocrática portuguesa. Todas as políticas e métodos foram escritos num livro chamado "Mudar Portugal-A Revolução Inteligente", escrita pelo fundador do partido Eduardo Correia. Em 2011 foi rebatizado como Partido Liberal Democrata. 2007
Partido Unido dos Reformados e Pensionistas Logotipo PURP.png PURP António Mateus Dias Partido fundado em 2015 e aprovado pelo Tribunal Constitucional em julho de 2015. 2015

Centro-direita[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
Nós, Cidadãos! Logotipo nós cidadãos.png NC Mendo Castro Henriques Partido fundado em meados de 2014 e aprovado pelo Tribunal Constitucional em junho de 2015. Defende uma nova social-democracia. 2015
Partido da Terra Partido da Terra logo.jpg MPT José Inácio Faria Fundado em 1993 por uma fação do PPM. Assume-se hoje como um partido político português, ambientalista e humanista. 1993

Direita[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
Partido Cidadania e Democracia Cristã Portugal pro Vida logo.png PPV/CDC Luís Botelho Ribeiro Fundado em 2009, é um partido político português, aprovado pelo Tribunal Constitucional em 1 de julho de 2009 sob a designação de Portugal pro Vida (PPV), que defende os princípios da doutrina social da Igreja. A 11 de julho de 2015, o partido decidiu manter o mesmo logotipo e alterar a sua designação para Partido Cidadania e Democracia Cristã (PPV/CDC), alteração que foi aceite e registada pelo Tribunal Constitucional a 12 de agosto do mesmo ano. 2009
Partido Popular Monárquico Partido Popular Monarquico logo.png PPM Paulo Estevão Partido político português inspirado pelo municipalismo e pelo ecologismo, que defende a restauração da monarquia em Portugal. 1974

Extrema-direita[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Líder História Fundação
Partido Nacional Renovador Partido Nacional Renovador logo.gif PNR José Pinto Coelho Partido político português nacionalista, similar ao partido francês de extrema-direita Frente Nacional. 2000

Lista de partidos e coligações extintas da III República[editar | editar código-fonte]

Esta lista apresenta os partidos que já foram reconhecidos pelo Supremo Tribunal de Justiça ou pelo Tribunal Constitucional mas que já não existem ou cessaram a sua actividade.

Com representação parlamentar em anteriores legislaturas[editar | editar código-fonte]

Esquerda[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Movimento Democrático Português / Comissões Democráticas Eleitorais Movimento Democrático Português logo.jpeg MDP/CDE José Manuel Tengarrinha Plataforma de antifascistas antes do 25 de Abril, mais tarde tornou-se um partido e concorreu sozinho ou coligado com o PCP por diversas vezes. 1969 1994
União Democrática Popular Partido20.gif UDP José Manuel Tengarrinha Plataforma de antifascistas antes do 25 de Abril, mais tarde tornou-se um partido e concorreu sozinho ou coligado com o PCP por diversas vezes. 1974 2005

Centro[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Partido Renovador Democrático PRD-2.png PRD Hermínio Martinho Foi um partido português criado em 1985, sob o patrocínio tácito do General Ramalho Eanes que era na época o presidente da República. Foi liderado por Hermínio Martinho, propondo-se a "moralizar a vida política nacional". 1985 2000
Partido da Solidariedade Nacional Partido da Solidariedade Nacional logo.jpg PSN Manuel Sérgio Foi fundado em 1990 com uma plataforma ligada principalmente à defesa dos direitos dos cidadãos aposentados. O partido rapidamente recebeu a alcunha de "partido dos reformados", mas apesar de tudo conseguiu votos suficientes para eleger um deputado nas eleições legislativas portuguesas de 1991: o seu presidente Manuel Sérgio, que cumpriu a legislatura de uma forma muito discreta. Nas eleições de 1995, o partido verificou a erosão da grande parte da sua base de apoio, ficando de fora da Assembleia da República. Nas últimas eleições não tem apresentado listas. Nas eleições legislativas de 2002, recolheu apenas 804 votos a nível nacional, deixando de existir nesse mesmo ano. 1990 2006

Direita[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Associação para a Defesa dos Interesses de Macau ADIM Diamantino de Oliveira Ferreira Foi uma associação política de matriz portuguesa e de cariz conservador e localista fundada em 1974 por um grupo de macaenses, entre os quais estavam Delfino José Rodrigues Ribeiro e Carlos Augusto Corrêa Paes d’Assumpção, que se tornou naturalmente no líder desta associação.[4] [5] [6] A ADIM manteve uma relação de estreita colaboração política com o Centro Democrático Social (CDS) português, cuja ideologia se assemelhava à do ADIM.[7] [8] [9] 1974 1999

Coligações[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Espectro político Fundação Dissolução
Aliança Povo Unido Aliança Povo Unido logo.jpg APU Álvaro Cunhal Coligação entre o PCP e o MDP. Esquerda 1978 1987
Aliança Democrática Aliança Democrática logo.jpg AD Francisco Sá Carneiro Coligação entre o PPD/PSD, o CDS e o PPM. Centro-direita 1979 1983
Frente Republicana e Socialista Frente Republicana e Socialista logo.jpg FRS Mário Soares Coligação entre o PS, a ASDI e a UEDS. A coligação foi formada tendo em vista as eleições de 1980 para a Assembleia da República, tendo obtido 26,65% dos votos.[10] Foi uma reacção à esquerda à união de partidos de centro e de direita representada pela Aliança Democrática (AD), que fora formada no ano anterior e vencera as eleições de 1979 (e, mesmo contra um centro-esquerda unido na FRS, voltaria a ganhar nas eleições de 1980). Centro-esquerda 1980 1982
Portugal à Frente PPD-CDS.jpg PàF Pedro Passos Coelho
Paulo Portas
Foi uma coligação o Partido Social Democrata (PPD/PSD) e o CDS - Partido Popular (CDS-PP).[11] Foi extinto na sequência da queda do XX Governo Constitucional. Centro-direita a Direita 2015 2015

Partidos sem representação parlamentar em nenhuma legislatura[editar | editar código-fonte]

Extrema-esquerda[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Frente Eleitoral dos Comunistas (marxistas-leninistas)
Organização Comunista Marxista-Leninista Portuguesa
Organização Comunista Marxista-Leninista Portuguesa logo.gif FEC(m-l)
OCMLP
Partido político de extrema-esquerda. Em 1976 altera a sua designação e sigla para OCMLP. 1973 1988
Aliança Operária Camponesa Simbolo AOC.jpg AOC Heduíno Gomes Partido político de extrema-esquerda, maoista, criado a partir de uma dissidência do PCP(m-l), por iniciativa de Heduíno Gomes. 1974 1979
Partido Trabalhista Partido Trabalhista logo.gif PT Heduíno Gomes Criado em 1979, resultante da alteração da denominação da AOC. 1979 1983
Liga Socialista dos Trabalhadores/Frente da Esquerda Revolucionária Frente da Esquerda Revolucionária logo.gif LST/FER Gil Garcia Inscrito em 1983; em 1989, alterou a sua donominação para FER 1983 2005
Força de Unidade Popular Força de Unidade Popular logo.gif FUP Otelo Saraiva de Carvalho Inscrito em 1980, nunca chegou a ir a votos (apresentou candidatos em 1985[12] [13] e 1991[14] , mas desistiu antes do dia das eleições), tendo apoiado Otelo Saraiva de Carvalho às eleições presidenciais de 1980, onde este obteve um resultado desastroso, com somente 85.896 votos (1,49%). 1980 2004
Liga Comunista Internacionalista Liga Comunista Internacionalista (Portugal) logo.gif LCI João Cabral Fernandes Partido fundado em 1973. Considera-se como secção portuguesa da IV Internacional, de cariz trotskista. Em 1979 funde-se com o PRT no PSR. 1973 1978
Partido Comunista de Portugal (marxista-leninista) Partido Comunista de Portugal (marxista-leninista) logo.gif PCP(m-l) Heduíno Gomes Foi um pequeno grupo político de extrema-esquerda criado em 1970, a partir do Comité Marxista-Leninista Português, que havia sido fundado em 1964 por Francisco Martins Rodrigues. 1970 1980 ?
Partido Comunista (Reconstruído) Partido Comunista (Reconstruído) logo.gif PC(R) Partido político de extrema-esquerda, criado em 1975. Definia-se como um partido político revolucionário do proletariado seguindo a doutrina marxista-leninista. Publicava o jornal "Bandeira Vermelha", órgão central do PC(R) e também a revista "Comunismo", a sua revista teórica e política. Estava tradicionalmente ligado à União Democrática Popular. 1975 1992
Partido Revolucionário dos Trabalhadores Partido Revolucionário dos Trabalhadores logo.gif PRT Partido político de extrema-esquerda. Em 1979 funde-se com a LCI no PSR. Partido de orientação trotskista (próximo do argentino Nahuel Moreno e do SWP norte-americano)[15] que defendia os princípios do marxismo revolucionário. Os seus objectivos eram organizar e controlar a classe operária para a conduzir à tomada do poder e à revolução socialista. Pretendia a abolição do capitalismo e a progressiva eliminação de classes. 1975 1979
Partido Socialista Revolucionário Partido Socialista Revolucionário logo.PNG PSR Francisco Louçã Partido político de extrema-esquerda, trotskista criado em 1978, durante o congresso em que a Liga Comunista Internacionalista (LCI) se fundiu com o Partido Revolucionário dos Trabalhadores (PRT) e integrou um conjunto de militantes de várias correntes trotskistas. Em 1979 (no contexto de uma cisão na IV Internacional) grande parte dos militantes do ex-PRT abandonaram a organização. Os principais líderes foram Francisco Louçã, Alfredo Frade, Helena Lopes da Silva, Heitor de Sousa e José Falcão. Em 1999, juntamente com a UDP e a Política XXI, esteve na origem da criação do Bloco de Esquerda. Em 2006 extinguiu-se enquanto partido político, transformando-se na Associação Política Socialista Revolucionária (APSR). Em 2013, o XIX Congresso da APSR aprovou a sua extinção enquanto corrente dentro do BE[16] A maioria da extinta associação decidiu juntar-se à tendência interna do BE denominada Socialismo enquanto que uma minoria se juntará com outros bloquistas formando a Plataforma Anti-capitalista [17] . 1978 2008
Partido Socialista dos Trabalhadores PST Partido político, fundado em 1980 (por dissidentes do Partido Socialista Revolucionário[18] ) e extinto em 1981. Concorreu a um único acto eleitoral, coligado com o Partido Operário de Unidade Socialista (POUS), para as eleições legislativas de 1980[19] . 1980 1981
Partido de Unidade Popular Partido de Unidade Popular logo.gif PUP Partido político de extrema-esquerda, fundado em Dezembro de 1974. Era uma organização política de tendência maoista, que provinham da chamada Facção Mendes do PCP(m-l). Depois das eleições legislativas portuguesas de 1975 retoma a designação inicial de CM-LP. Em 1976, com o ORPC (M-L) e com a OCMLP funde-se no Partido Comunista (Reconstruído) e o partido extinguiu-se.[20] Nas únicas eleições que participou, as eleições para a Assembleia Constituinte (25 de Abril de 1975) obteve 13 138 votos, o que correspondeu a 0,23%. Em 1997 foi decretada a sua dissolução pelo Tribunal Constitucional por ter cessado as suas actividades ainda na década de setenta. 1974 1976

Esquerda[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Frente Socialista Popular Frente Socialista Popular logo.gif FSP Manuel Serra Partido político português criado em 1974, herdeiro do Movimento Socialista Popular de Manuel Serra, integrada como grupo autónomo do PS, até Dezembro de 1974. Concorreu às eleições para a Assembleia Constituinte em 1975 e para a Assembleia da República em 1976, tendo a partir daí integrado a Frente Eleitoral Povo Unido até 1978. 1974 2004
Grupos Dinamizadores de Unidade Popular Grupos Dinamizadores de Unidade Popular logo.gif GDUP's Inscrito em 1976, concorreu somente às eleições Autárquicas de 1976. 1976 1977
Movimento de Esquerda Socialista Movimento de Esquerda Socialista logo.gif MES Partido político surgiu imediatamente a seguir à Revolução do 25 de Abril de 1974. Muitas das figuras que estiveram na origem e na história do MES viriam a ingressar, posteriormente, no Partido Socialista, no âmbito do qual algumas vieram a assumir elevadas funções, como foi o caso de Jorge Sampaio, Eduardo Ferro Rodrigues, Augusto Mateus e Alberto Martins. 1974 1981
Política XXI Politica XXI logo.jpg PXXI Partido político socialista. Foi fundado por antigos membros do PCP e do MDP/CDE. Os seus membros vieram maioritariamente da Plataforma de Esquerda, grupo dissidente do PCP. Quando a Plataforma de Esquerda assinou um acordo eleitoral autárquico com o PS, a ala esquerda do movimento, composta por Miguel Portas, Paulo Varela Gomes, Daniel Oliveira, Ivan Nunes, abandonou a direcção. Na Plataforma de Esquerda ficaram dirigentes como Pina Moura, Barros Moura, José Luís Judas e Mário Lino. A Política XXI concorreu às Eleições Europeias de 1994, sendo o cabeça de lista Ivan Nunes, então com 21 anos. Em 1998 a Política XXI juntou-se ao Partido Socialista Revolucionário e à União Democrática Popular para formar o Bloco de Esquerda. 1994 2008
União da Esquerda para a Democracia Socialista União da Esquerda para a Democracia Socialista logo.gif UEDS António Lopes Cardoso Partido político de esquerda, participou nas eleições legislativas de 1980 em coligação com o Partido Socialista (PS) e a Acção Social Democrata Independente (ASDI), sob a denominação de Frente Republicana e Socialista (FRS), tendo elegido quatro deputados. No ano anterior já tinha concorrido sozinha às eleições intercalares, tendo obtido menos de um por cento da votação. Nas eleições seguintes, os membros do partido integraram as listas do Partido Socialista, tendo elegido de novo quatro deputados que formaram um agrupamento parlamentar. Nas eleições presidenciais de 1986 os membros do partido separaram-se, uma parte apoiando Mário Soares e a outra Maria de Lurdes Pintasilgo. 1978 1986
Partido da Gente Partido da Gente logo.jpg PG Edir Macedo Partido político, já extinto, criado em 1995, pertencente à esquerda cristã. De inspiração cristã, defendendo a promoçao da democracia política, social, económica e cultural, baseada em principios éticos, sociais e democráticos da doutrina cristã. 1974 1983

Centro-esquerda[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Acção Social Democrata Independente Acção Social Democrata Independente logo.gif ASDI Partido de esquerda fundado em 1979. Formou-se após o abandono de alguns deputados do PPD/PSD, entre os quais António de Sousa Franco, Joaquim Magalhães Mota e Sérvulo Correia, entre outros. O partido participou nas eleições legislativas de 1980 em coligação com o Partido Socialista (PS) e com a União de Esquerda para a Democracia Socialista (UEDS), sob a denominação de Frente Republicana e Socialista (FRS). 1980 1985
Centro Democrático de Macau CDM Heduíno Gomes Associação política de matriz portuguesa e de centro-esquerda, com sede em Macau, fundado em 30 de Abril de 1974, cinco dias após a Revolução do 25 de Abril, que se propunha contribuir para o exercício dos direitos civis e políticos e participar na vida política de Macau. 1974 1999
Movimento pelo Doente Movimento pelo Doente logo.jpg MD Vitorino Brandão Partido político, inscrito oficialmente em 23 de Abril de 2002 no Tribunal Constitucional, que concorreu às eleições europeias em 2004. Propunha-se promover e defender a Justiça, a Paz, a Solidariedade, os Direitos do Homem e as liberdades fundamentais em geral, e, em particular, os direitos sociais decorrentes do direito à protecção da saúde do cidadão português, onde quer que se encontre. 2002 2007

Centro[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Movimento Esperança Portugal Mepmep.png MEP Rui Marques Partido político, posicionava-se ideologicamente como um partido do Centro entre o PS e o PSD. 2008 2012
Partido Humanista Partido Humanista logo.gif P.H. Manuela Magno Partido político que nunca teve representação parlamentar. Em 2009, concorreu às eleições legislativas coligado com o MPT, formando a FEH - Frente Ecologia e Humanismo. Em 2011, posicionou-se em último lugar, entre os 17 partidos concorrentes, tendo obtido 3 590 votos a nível nacional, correspondentes a 0,06%, havendo a atenuante de ter participado apenas em seis círculos eleitorais, mais os dos emigrantes. Pertencia à Internacional Humanista. 1999 2015

Centro-direita[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Partido Português das Regiões Partido Português das Regiões logo.jpg PPR Arlindo Neves Partido criado em 1995. Defendia um modelo democrático assente nos valores regionais, éticos e sociais de liberdade, desenvolvido através de órgãos nacionais, regionais e autárquicos. Nunca concorreu a qualquer acto eleitoral. 1995 1998

Direita[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Nova Democracia Nova Democracia logo.jpg PND Manuel Monteiro Partido político conservador-liberal, que nasceu duma dissidência do CDS-PP, e foi presidido por um seu antigo presidente, Manuel Monteiro. A sua inscrição foi aceite no Tribunal Constitucional a 18 de junho de 2003. 2003 2015

Extrema-direita[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Fundação Dissolução
Partido Democrático do Atlântico PDAoriginal.jpg PDA Teodoro de Sousa Pedro Partido político considerado de extrema-direita e com origem no MAPA, fundado em 1979, por Francisco da Costa Matos. O PDA defendia a atribuição de um estatuto ultramarino, seguindo o exemplo das Bermudas, para as regiões autónomas portuguesas (Açores e Madeira). Foi inscrito como partido em 1979 com a sigla UDA/PDA, que alterou para PDA em 1983. 1979 2015
Frente Nacional Frente Nacional 1980 logo.jpg FN Manuel Maria Múrias Partido político de extrema-direita, que em 1980 concorreu às eleições legislativas em coligação com o PDC e o MIRN/PDP e que, após obter apenas 0,4% dos votos, acabaria por cessar atividade, tendo como último presidente o jornalista e ensaísta Manuel Maria Múrias. 1980 1980
Movimento Independente para a Reconstrução Nacional / Partido da Direita Portuguesa Movimento Independente para a Reconstrução Nacional logo.gif MIRN/PDP Kaúlza de Arriaga Partido político fundado em 1979. Partido da direita democrática social, defendendo o estabelecimento de um regime presidencialista, foi no entanto normalmente conotado com a extrema-direita. 1979 1984
Partido da Democracia Cristã Partido da Democracia Cristã logo.gif PDC José Sanches Osório Partido político de direita política de princípios cristãos, criado em 10 de maio de 1974, sendo seu fundador o major José Sanches Osório. O PDC esteve suspenso de actividade política durante o PREC por ter apoiado o General Spínola durante a tentativa de golpe do 28 de Setembro de 1974 e por se ter tornado numa "barriga-de-aluguer" de extremo-direitistas (apesar do líder-fundador Sanches Osório ter sido um dos Capitães de Abril e os fundadores do partido terem sido de facto democratas-cristãos), e tendo a sua ilegalização sido solicitada no Parlamento pelo menos até 1976. 1974 2004

Coligações[editar | editar código-fonte]

Nome Abreviatura Fundador História Espectro político Fundação Dissolução
Frente Eleitoral Povo Unido Frente Eleitoral Povo Unido logo.jpg FEPU Álvaro Cunhal Coligação entre o PCP, o MDP e a FSP), para concorrer às eleições autárquicas de 1976. Esquerda 1976 1978
FEH - Frente Ecologia e Humanismo Frente Ecologia e Humanismo logo.jpg MPT-P.H. Coligação que reunia o Partido da Terra (MPT) e o Partido Humanista (P.H.), constituída para fins eleitorais, com o fim de concorrer às eleições para a Assembleia da República de 2009, apresentando-se em todos os círculos eleitorais com exceção dos círculos dos Açores e Madeira. Centro 2009 2009
AGIR Agir logo composto.jpg AGIR Joana Amaral Dias Coligação constituída pelo Partido Trabalhista Português (PTP) e pelo Movimento Alternativa Socialista (MAS), anotada no Tribunal Constitucional em 27 de julho de 2015. O AGIR foi fundado como movimento político liderado por Joana Amaral Dias. Coligou-se formalmente com o PTP e o Movimento Alternativa Socialista (MAS) em 21 de julho de 2015. Esquerda 2015 2015

Outras organizações da III República[editar | editar código-fonte]

Lista de partidos e agremiações políticas durante o Estado Novo[editar | editar código-fonte]

Lista de partidos e agremiações políticas durante a I República[editar | editar código-fonte]

Lista de partidos e agremiações políticas durante a Monarquia Constitucional[editar | editar código-fonte]

Da fusão dos dois anteriores resultou o novo:

Lista de partidos e agremiações políticas durante o primeiro liberalismo[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Tribunal Constitucional – "Partidos registados e suas denominações, siglas e símbolos". O TC é, em Portugal, a entidade que regula a constituição e extinção dos partidos políticos, bem como controla as suas contas.
  2. [www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/resultadoseleitorais.aspx "XIII Legislatura (eleição em 4 de outubro de 2015)"] |url= incorrecta (Ajuda). Assembleia da República. Consult. 19 de dezembro de 2015. 
  3. "Eleições Legislativas 5 junho 2011". Ministério da Justiça. Consult. 24 de dezembro de 2011. 
  4. Celina Veiga de Oliveira, organizadora da exposição e da fotobiografia “Um homem de valor”, Hoje Macau, 28 de Abril de 2009
  5. Repercussões do 25 de Abril de 1974 em Macau, Tempos d'Oriente
  6. About Delfino Jose Rodrigues Ribeiro, no site ribeirofamily.com
  7. Deputados eleitos directamente, uma conquista de Abril em Macau, Jornal Tribuna de Macau, 25 de Abril de 2008
  8. Faltou a China a palavra dada?, Ponto Final, 27 de Maio de 2009
  9. Carlos d’Assumpção (1929-1992), Hoje Macau, 7 de Maio de 2009
  10. "Resultados Eleitorais". CNE - Comissão Nacional de Eleições. Consult. 25 de Setembro de 2009. 
  11. Coligação Eleitoral PPD/PSD.CDS-PP, "Portugal à Frente", portugalafrente.pt, recuperado 6 de outubro 2015
  12. "Parecer do Conselho Consultivo da PGR". ITIJ - Bases Jurídico-Documentais. Consult. 25 de novembro de 2012. 
  13. "Sorteio das listas apresentadas - Eleição para a Assembleia da República 1985". Comissão Nacional de Eleições. Consult. 25 de novembro de 2012. 
  14. "Sorteio das listas apresentadas - Eleição para a Assembleia da República 1991". Comissão Nacional de Eleições. Consult. 25 de novembro de 2012. 
  15. Alexander, Robert Jackson. International Trotskyism, 1929-1985: A Documented Analysis of the Movement (em Inglês). [S.l.]: Duke University Press, 1991. 1125 p. p. 654. ISBN 0-8223-0975-0
  16. "PSR aprova extinção e adesão a nova corrente política do BE". Público. 25 de março de 2013. Consult. 25 de março de 2013. 
  17. "Juntar forças na corrente "Socialismo"" (pdf). Combate.info. Associação Politica Socialista Revolucionária. Consult. 25 de março de 2013. 
  18. Hernández, Juan Carlos González. Desarrollo político y consolidación democrática en Portugal (1974-1998) (em Espanhol). [S.l.]: Centro de Investigaciones Sociológica, 1999. 285 p. p. 165. ISBN 9788474762679: A su vez, el PST se forma con elementos apartados del PSR, de inspiración trotskista.
  19. "Partido Socialista dos Trabalhadores". Comissão Nacional de Eleições. Consult. 17 de março de 2013. 
  20. "Partido de Unidade Popular". Comissão Nacional de Eleições. Consult. 20 de maio de 2010.