Eleições estaduais em São Paulo em 2006

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
2002 Brasil 2010
Eleições estaduais de  São Paulo de 2006
1º de outubro de 2006
Primeiro Turno
Serra02032007-2.jpg Aloizio mercadante2.jpg Orestes Quércia em Avaré 310806 REFON.jpg
Candidato José Serra Aloísio Mercadante Orestes Quércia
Partido PSDB PT PMDB
Natural de São Paulo, SP Santos, SP Pedregulho, SP
Vice Alberto Goldman Nadia Campeão Átila Russomano
Votos 12.381.038 6.771.582 977.695
Porcentagem 57,928% 31,683% 4,574%


Brasão do estado de São Paulo.svg
Governador de São Paulo

Eleito
José Serra
PSDB


Eleição para o Flag of Brazil.svg Senado por  São Paulo em 2006
4 de outubro de 1998
Eduardo suplicy senado 2010.jpg Guilherme Afif.jpg
Líder Eduardo Suplicy Guilherme Afif
Partido PT PFL
Natural de São Paulo São Paulo
Votos 8.986.803 8.212.177
Porcentagem 47,79% 43,67%

As eleições estaduais de São Paulo de 2006 aconteceriam juntamente com as Eleições federais no Brasil, em 1 de outubro e em 29 de outubro. Desde 1994, como resultado de uma emenda constitucional que reduziu o mandato presidencial para quatro anos, todas as eleições federais e estaduais no Brasil coincidiram. Porém, como o candidato José Serra (PSDB) foi eleito em primeiro turno, a eleição se deu somente na primeira data.

As eleições estaduais decidem governadores e os deputados estaduais para as Assembléias Legislativas. Também os membros do Congresso Nacional são eleitos por estado.

Governador e Vice-Governador[editar | editar código-fonte]

No geral, as regras para as eleições presidenciais também se aplicam às estaduais. Isto é, as eleições têm dois turnos, se nenhum dos candidatos alcança maioria absoluta dos votos válidos, um segundo turno entre os dois mais votados acontece. Todos os candidatos com cargos executivos devem renunciar até 2 de abril, para poderem disputar.

Definição de candidatos[editar | editar código-fonte]

Os vários processos de construção das coligações entre partidos com vistas às eleições, no início de 2006, foram influenciados pela decisão, ainda a ser tomada pela Justiça eleitural, a respeito da validade da verticalização partidária para as eleições deste ano. A muitos partidos interessava manter alianças em nível estadual diferentes daquelas de nível federal, o que levou a que alguns candidatos somente estivessem confirmados em meados de maio ou junho. Entretanto, verificou-se a tendência de se reproduzir no contexto do estado a grande disputa entre os principais partidos a concorrerem em nível federal: o Partido dos Trabalhadores (PT), do então Presidente e candidato a reeleição Luís Inácio Lula da Silva, de um lado, e o seu mais destacado opositor, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) de outro.

O PSDB é o partido do governador de então, mas, Geraldo Alckmin não pode disputar outra reeleição. Portanto, o partido precisou apontar um novo nome para a disputa. Após o governador Alckmin ter sido escolhido como o candidato à presidência em uma polêmica disputa com o prefeito da capital paulista José Serra, foi proposto que Serra fosse o candidato para o governo do estado. Alberto Goldman é o candidato a vice-governador.

Já o PT, o principal partido de oposição no estado, escolheu em suas eleições primárias Aloizio Mercadante (descartando, então, Marta Suplicy), senador de São Paulo no quarto ano de seu mandato (de um total de oito), por ter se mostrado como um forte candidato nas pesquisas feitas até aqui, apesar de nunca ter exercido um cargo executivo.

Vários outros partidos menores também lançaram candidatos, mas ao longo dos meses as pesquisas de opinião de voto tenderam a mostrar a polarização da disputa entre Mercadante e Serra. Entre os demais candidatos com alguma projeção nas pesquisas destacam-se Orestes Quércia (PMDB, cujo apoio foi disputado tanto pelo PT quanto pelo PSDB), e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL).

Candidatos[editar | editar código-fonte]

Candidatos a governador e coligações[1]
Nome dos candidatos Nº eleitoral Partido Coligação/Partido
Alfredo Martins Correa 19 PTN "São Paulo de Cara Nova" (PTN, PRP e PTdoB)
Aloizio Mercadante Oliva 13 PT "Melhor pra São Paulo" (PRB, PT, PL e PCdoB)
Anai Caproni Pinto 29 PCO PCO
Antonio da Cunha Lima 27 PSDC PSDC
Carlos Alberto Eugenio Apolinário 12 PDT PDT
Cláudio Antonio de Mauro 43 PV PV
Eder Xavier 36 PTC PTC
José Serra 45 PSDB "Compromisso com São Paulo" (PSDB, PFL, PTB, PPS)
Mario Luiz Guide 40 PSB PSB
Orestes Quércia 15 PMDB PMDB - PP
Pedro Luiz Viviani 33 PMN PMN
Plínio Soares de Arruda Sampaio 50 PSOL "Frente de Esquerda por São Paulo" (PCB, PSOL, PSTU)
Roberto Gandolfo Sarli Junior 26 PAN PAN
Roberto Siqueira Gomes 17 PSL PSL - PHS
Ruy Renato Reichmann 56 PRONA PRONA
Tarcisio Roberto Foglio 20 PSC PSC

Os principais candidatos à governador:

Senador[editar | editar código-fonte]

Conforme rodízio previsto para as eleições para o Senado, em 2006 uma vaga para cada estado será disputada para o mandato de 8 anos. O candidato mais votado é eleito. Nas eleições legislativa não há segundo turno.

Principais candidatos[editar | editar código-fonte]

Candidatos a senador e coligações[1]
Nome dos candidatos Nº eleitoral Partido Coligação/Partido
Eduardo Suplicy 131 PT "Melhor pra São Paulo" (PRB, PT, PL e PCdoB)
Guilherme Afif Domingos 252 PFL "Compromisso com São Paulo" (PSDB, PFL, PTB, PPS)
Alda Marco Antônio 151 PMDB PMDB - PP
Elza Pereira 123 PDT PDT
Robson Malek 561 PRONA PRONA
Luís Carlos Prates ("Mancha") 161 PSTU "Frente de Esquerda por São Paulo" (PSOL, PCB, PSTU)
Ana Prudente 360 PTC PTC
Domingos Fernandes 430 PV PV

Câmara Federal eleita[editar | editar código-fonte]

Nome do eleito Partido Número de votos Porcentagem de votos válidos (%)
Paulo Maluf PP 739.827 3,63
Celso Russomanno PP 573.524 2,82
Clodovil Hernandes PTC 493.951 2,43
Enéas Carneiro PRONA 386.905 1,90
Emanuel Gavioli Fernandes PSDB 328.486 1,61
Paulinho da Força PDT 287.443 1,41
Edson Aparecido PSDB 248.639 1,22
Marcio França PSB 215.388 1,06
Antônio Carlos Mendes Thame PSDB 205.462 1,01
Luiza Erundina PSB 195.886 0,96
José Aristodemo Pinotti PFL 193.918 0,95
Renato Amary PSDB 188.331 0,93
Arnaldo Jardim PPS 187.427 0,92
Reinaldo Nogueira PDT 184.553 0,91
João Pauloni PSDB 176.495 0,87
Antônio Duarte Nogueira Júnior PSDB 170.319 0,84
Arlindo Chinaglia PT 170.008 0,84
Aldo Rebelo PCdoB 169.621 0,83
Jorge Tadeu Mudalen PFL 165.699 0,81
Julio Semeghini PSDB 160.962 0,79
Ricardo Tripoli PSDB 157.128 0,77
Arnaldo Madeira PSDB 153.302 0,75
Ricardo Izar PTB 152.795 0,75
Antonio Palocci Filho PT 152.246 0,75
Jilmar Tatto PT 145.081 0,71
Frank Aguiar PTB 144.797 0,71
Vanderlei Macris PSDB 142.510 0,70
Carlos Zarattini PT 134.224 0,66
Silvinho Peccioli PFL 133.033 0,65
Silvio Torres PSDB 131.197 0,64
José Aníbal PSDB 129.300 0,64
Milton Monti PL 126.940 0,62
Paulo Renato Souza PSDB 124.610 0,61
José Eduardo Cardozo PT 124.409 0,61
Nelson Marquezelli PTB 118.721 0,58
Cândido Vaccarezza PT 118.258 0,58
Lobbe Neto PSDB 117.285 0,58
Janete Pietá PT 116.865 0,57
Arnaldo Faria de Sá PTB 114.709 0,56
William Woo PSDB 113.010 0,56
Paulo Teixeira PT 112.452 0,55
Ricardo Berzoini PT 112.006 0,55
Fernando Fuad Chucre PSDB 111.048 0,55
Antonio Bulhões PMDB 109.978 0,54
Antonio Carlos Pannunzio PSDB 109.150 0,54
Francisco Rossi de Almeida PMDB 106.272 0,52
José Mentor PT 104.960 0,52
Valdemar Costa Neto PL 104.157 0,51
Guilherme Campos PFL 103.605 0,51
Walter Ihoshi PFL 101.097 0,50
Michel Temer PMDB 99.046 0,49
José Genoino PT 98.729 0,49
Vicente Paulo da Silva PT 97.477 0,48
Devanir Ribeiro PT 92.047 0,45
Marco Aurélio Ubiali PSB 84.175 0,41
Ivan Valente PSOL 83.719 0,41
Etivaldo Vadão Gomes PP 78.728 0,39
Edinho Montemor PSB 73.212 0,36
Paulo Roberto Gomes Mansur PP 67.447 0,33
João Dado PDT 61.716 0,30
Talmir Rodrgigues PV 60.407 0,30
Roberto Santiago PV 56.481 0,28
Marcelo Ortiz PV 48.749 0,24
Regis de Oliveira PSC 48.631 0,24
José Paulo Tóffano PV 43.652 0,21
Sérgio Antônio Nechar PV 42.173 0,21
Aline Correa PP 11.132 0,05
Marcelo Mariano PP 8.278 0,04
Paes de Lira PTC 6.673 0,03

Câmara Estadual[editar | editar código-fonte]

Nome do eleito Partido Número de votos
Antônio Carlos de Campos Machado PTB 246.247
Pedro Tobias PSDB 228.325
Rodrigo Garcia PFL 196.824
Rui Falcão PT 183.364
Paulo Alexandre Barbosa PSDB 182.654
Gil Arantes PFL 149.642
José Carlos Vaz de Lima PSDB 142.903
Dárcy Vera PFL 140.702
Analice Fernandes PSDB 140.587
Sidney Beraldo PSDB 136.826
Valdomiro Lopes PSB 132.605
Célia Leão PSDB 124.131
Bruno Covas PSDB 122.312
Orlando Morando PSDB 120.771
André Soares PFL 120.168
Rogério Nogueira PDT 117.298
Maria Lúcia Amary PSDB 117.212
Barros Munhoz PSDB 114.009
Celso Gíglio PSDB 111.302
Mauro Bragato PSDB 110.146
Samuel Moreira PSDB 109.225
Celino Cardoso PSDB 106.563
Simão Pedro PT 104.339
Mário Reali PT 98.694
Edson Ferrarini PTB 98.541
Roque Barbieri PSDB 96.597
Vinícius Camarinha PSB 94.551
Antônio Carlos PSDB 94.218
Estevam Galvão PFL 94.099
Marcos Zerbini PSDB 94.082
Carlos Almeida PT 94.024
Rodolfo Costa e Silva PSDB 92.382
Sebastião Almeida PT 89.399
Jonas Donizette PSB 89.374
Waldir Agnello PTB 87.939
Conte Lopes PTB 87.191
João Caramez PSDB 84.560
Geraldo Vinholi PDT 83.935
Roberto Morais PPS 82.487
Hamilton Pereira PT 82.256
Jorge Caruso PMDB 81.810
Ricardo Montoro PSDB 81.181
Vicente Cândido PT 81.132
João Mellão Neto PFL 79.903
Edmir Chedid PFL 78.583
Antônio Mentor PT 77.874
João Barbosa PFL 77.650
Roberto Engler PSDB 77.486
Patrícia Lima PRONA 77.351
Rita Passos PV 76.841
José Prado de Andrade PT 76.708
José Augusto PSDB 74.638
José Antônio Bruno PFL 73.968
Roberto Massafera PSDB 72.205
Mozart Russomanno PP 71.952
Marcos Martins PT 71.474
Aldo Demarchi PFL 70.880
Milton Leite PFL 70.629
Luíz Gondim Teixeira PPS 70.403
Gilson de Souza PFL 70.197
Adriano Diogo PT 69.074
Rafael Silva PDT 68.092
Ana do Carmo PT 67.596
José Afonso Lobato PV 67.138
Haifa Madi PDT 66.981
Ana Perugini PT 66.878
Antônio Salim Curiati PP 66.208
Gilmaci Santos PL 65.188
Vítor Sapienza PPS 64.918
Vanessa Damo PV 64.579
Donisete Braga PT 64.569
Baleia Rossi PMDB 64.000
Aparecido Sério da Silva PT 63.021
Alex Manente PPS 60.571
Otoniel Lima PL 60.358
Luciano Batista PSB 59.653
Roberto Felício PT 59.227
José Cândido PT 58.932
Maria Lúcia Prandi PT 55.736
Vanderlei Siraque PT 55.715
Fausto Figueira PT 55.599
David Zaia PPS 54.799
Uebe Rezeck PMDB 52.587
Sérgio OlÍmpio Gomes PV 52.386
Carlos Giannazi PSOL 50.269
Edson Tomazini PMDB 48.609
Edson Giriboni PV 47.968
Reinaldo Alguz PV 47.192
Francisco Antônio Sardelli PV 45.445
Feliciano Nahimy Filho PV 43.643
José Bittencourt PDT 41.510
Raul Marcelo PSOL 35.670
Said Mourad PSC 34.020
Lelis Trajano PSC 29.515

Apuração[editar | editar código-fonte]

Após a apuração de 100% dos votos, a eleição terminou com José Serra eleito governador em primeiro turno (57,93% dos votos) com Aloísio Mercadante em segundo lugar (31,68%). Eduardo Suplicy foi eleito para o senado (47,82%) com Guilherme Afif em segundo lugar (43,70%).

Boletim 18 de outubro de 2006 14h35 UTC — 100% das urnas apuradas:

Gráfico com os resultados da eleição (Votos válidos)

Observação:foram representados os seis mais bem votados

Fonte:TSE

Referências

  1. a b TSE, 23 setembro de 2006

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.