Laços de Família (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde abril de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Laços de Família
Logotipo da telenovela
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Romance
Duração 75 minutos
Criador(es) Manoel Carlos
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Ricardo Waddington
Elenco Vera Fischer [1]
Carolina Dieckmann
José Mayer
Luigi Baricelli
Regiane Alves
Thalma de Freitas
Tony Ramos
Flávio Silvino
Júlia Feldens
Yara Lins
Cléa Simões
Eliete Cigarini
Marieta Severo
Alexandre Borges
Reynaldo Gianecchini
Ver mais
Tema de abertura "Corcovado" - Astrud Gilberto, Tom Jobim, João Gilberto e Stan Getz.
Tema de encerramento "Corcovado" - Astrud Gilberto, Tom Jobim, João Gilberto e Stan Getz.
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 5 de junho de 2000 - 2 de fevereiro de 2001
N.º de temporadas 1
N.º de episódios 209 (original)
150 (Vale a Pena Ver de Novo)
209 (Canal Viva)

Laços de Família é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no horário das 20 horas, de 5 de junho de 2000 a 2 de fevereiro de 2001, em 209 capítulos,[2] substituindo Terra Nostra[3] e sendo substituída por Porto dos Milagres. Foi a 59ª "novela das oito" exibida pela emissora.

Escrita por Manoel Carlos, com a colaboração de Fausto Galvão, Maria Carolina, Vinícius Vianna e Flávia Lins e Silva, dirigida por Moacyr Góes e por Leandro Neri, com direção geral de Ricardo Waddington, Rogério Gomes e Marcos Schechtman, e direção de núcleo de Ricardo Waddington.

Contou com as participações de Vera Fischer, Carolina Dieckmann, José Mayer, Luigi Baricelli, Regiane Alves, Thalma de Freitas, Tony Ramos e Flávio Silvino.[1]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Helena, uma empresária, sócia de uma clínica de estética e com 45 anos, ao ir para a praia, se envolve em um acidente de carro com Edu, um médico que acabara de se formar, com 25 anos, em frente à livraria Dom Casmurro de Miguel, às vésperas do réveillon de 2000. Ao ser levada por Edu para a livraria, para receber os primeiros socorros, acaba despertando o amor de Miguel. Ela e Edu, depois de brigas, acabam se envolvendo.

Miguel é bem colocado na vida, com dois filhos: a rebelde e irresponsável Ciça, a mais nova, que questiona todas as ações praticadas pelo pai e, apesar de imatura, ama sua família, e Paulo, o mais velho, que sofre de um certo retardo por causa de um acidente de carro, no qual a sua mãe faleceu, e realiza um exaustivo trabalho de recuperação com a fisioterapeuta Isabel, que é apaixonada por ele.

Edu e Helena acabam se envolvendo em um amor polêmico para muitos que convivem com eles, por serem de diferentes idades, tendo como o principal obstáculo Alma Flora, a tia superprotetora de Edu, que faz de tudo para ver Helena longe de seu sobrinho. Alma não teve filhos, e cuidou dos sobrinhos desde a morte dos pais destes, inclusive administrando os bens dos mesmos como se fossem seus e interferindo demasiadamente na vida pessoal de Edu e sua irmã, Estela. Todos residem em uma mansão no bairro de Joatinga, junto com o padrasto Danilo, o quarto marido de Alma. Ele é um bon vivant simpático, e bastante mulherengo, com as suas tentativas de seduzir Ritinha, a empregada de sua casa. Rodrigo é apaixonado por Alma, e sonha ser seu quinto marido.

O haras de Alma é cuidado por Pedro, um homem arrogante, duro e antipático. No passado, se envolveu ainda jovem com a sua prima Helena, e agora, casado com a floricultora Sílvia, após várias cenas de ciúmes, acaba se separando da mulher. Ele conhece a veterinária Cíntia, que depois de tantos machismos, e graças à atração de Cíntia por ele, iniciam um romance.

Helena tem dois filhos: Fred, o mais velho, engenheiro desempregado que se casou com Clara, uma menina rica, mimada e imatura e que não consegue se adaptar a uma vida de dificuldades financeiras. Os dois tiveram a filha Nina, que é a desculpa de Clara para Fred alugar um apartamento só para os três. A filha mais nova de Helena é Camila, que estuda literatura em Oxford, na Inglaterra. Ela conhece Edu em uma viagem ao Japão, que vai junto com Helena para visitá-la. Na volta ao Brasil, ela constrói um forte laço de amizade com Edu, pois os dois têm a mesma idade e os mesmos interesses.

Mais tarde, Camila e Edu descobrem que estão apaixonados. Os dois resistem por respeito a Helena que, quando vê que seu namorado está encantado por sua filha, se afasta dele para que ele e Camila sejam felizes, que assumem o amor depois de muitas discussões. Sabendo que Helena está solteira, Miguel decide conquistá-la, com sucesso.

Quem não vê o relacionamento de Edu e Camila com bons olhos é Íris, meia-irmã de Helena, tendo como pai delas o bondoso Aléssio, que é casado com Ingrid, mãe de Íris, que passa a morar com Helena após a morte de sua mãe, baleada em um posto de gasolina tentando salvar sua filha. Ela não se conforma com o romance de Edu e Camila e diz que a filha "roubou" o namorado da mãe, tramando para tentar separá-los. Íris é apaixonada por Pedro, que a acha uma garota mimada e a trata como uma criança. Ela ainda tem que se preocupar com Cíntia, que sente atração por Pedro. Íris tenta de todas as maneiras separar o casal. Ela ainda desperta o coração do jovem Fábio, que se apaixona por ela.

Yvete, a melhor amiga de Helena e a confidente de seus segredos, é casada com Viriato, um homem "boa-gente" e de bem com a vida. Ele sofre de impotência sexual, não conseguindo mais se relacionar sexualmente com a esposa, se afundando na depressão cada vez mais, sofrendo preconceitos de amigos e outras pessoas.

Camila raspa a cabeça devido ao tratamento da leucemia.

Camila fica grávida de Edu e Miguel está quase pedindo Helena em casamento. Tudo isso é abalado com a descoberta de que Camila sofre de leucemia, perdendo o bebê que esperava, e precisando urgentemente de um doador de medula, já que ela e seu meio-irmão Fred não são filhos do mesmo pai.

Sem saída, Helena revela a paternidade da filha: ela é filha de Pedro. Ela ficou grávida de Pedro quando jovem e foi expulsa de casa pelo pai, e apenas ela e Yvete sabiam desse segredo. Querendo salvar a filha da doença, Helena recusa o pedido de casamento de Miguel e engravida de Pedro para salvar Camila.

Capitu é uma universitária e garota de programa junto com a sua amiga Simone. As duas são agenciadas por Fernando. Capitu, com o seu salário, sustenta os pais Pascoal, um intelectual aposentado que trabalha como revisor de livros para Miguel e Ema, uma dona de casa e costureira, e o seu filho, tendo o marginal Maurinho como pai. Ela reencontra Fred, seu ex-namorado que não via há algum tempo e se envolve novamente com ele, já que o casamento deste com Clara está no final. Por amor a Fred, Capitu decide abandonar a prostituição, para viver com ele. Porém, antes disso, ela passa um verdadeiro inferno, pois Orlando, um ex-cliente obcecado por ela, tenta fazê-la voltar a vida de prostituição tentando assediá-la, e Maurinho a perseguindo, para conseguir dinheiro.

Nasce Vitória, filha de Helena, e doa medula para Camila. Íris se arrepende de suas maldades, Cíntia e Pedro têm uma recaída, Ritinha morre no parto dos filhos gêmeos de Danilo. Alma o aceita de volta com os gêmeos. Cíntia e Romeu ficam juntos, Miguel pede novamente Helena em casamento e ela aceita, e os dois se casam na igreja. Ciça se interessa por Raí (jogador de futebol) no aeroporto. Chega o dia da festa do terceiro aniversário de Vitória. Nela já aparecem os casais formados e com filhos: Helena e Miguel, Íris (grávida) e Pedro, Clara (grávida) e um desconhecido, Capitu (com filho e grávida) e Fred. Exceto Edu e Camila e Estela e Bento ainda não tiveram um filho.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Produção[editar | editar código-fonte]

Leblon, a locação principal da trama.
Tóquio, cidade onde tiveram cenas gravadas nos primeiros capítulos.

Um cenário externo reproduzindo uma floricultura também foi construído pela Central Globo de Produção. O local contava com mais de 40 arbustos de diferentes cores e tipos – rosas, lírios, gérberas, margaridas, orquídeas –, todas artificiais, mas fotografando perfeitamente como verdadeiras graças à combinação certa de textura e tipo de iluminação usados.[4]

Os atores Tony Ramos, Vera Fischer, Reynaldo Gianecchini, Carolina Dieckmann e Júlia Feldens viajaram para o Japão, mais precisamente em Kyoto, Nikko e Tokyo com uma equipe de 25 pessoas para gravar as cenas iniciais de seus personagens, Miguel, Helena, Edu, Camila e Ciça, respectivamente, com o apoio de profissionais da IPC Television, retransmissora da TV Globo Internacional no Japão.[4]

O diretor da trama, Ricardo Waddington, conta que procurou trabalhar com poucos movimentos de câmeras para conseguir traduzir a intimidade que o texto de Manoel Carlos leva ao telespectador. O diretor optou por privilegiar o plano-sequência – em que uma sequência é filmada sem cortes – para interferir pouco nas cenas. Os capítulos foram pontuados por stock shots – imagens de arquivo – com personagens e cenários típicos do Leblon, deixando aquele tom suave que só Manoel Carlos consegue dar às suas telenovelas.[4]

Giovanna Antonelli foi o destaque da trama com sua "prostituta de família", Capitu, que se prostituía para sustentar o filho. Bem como Marieta Severo com sua Alma Flora, a tia superprotetora que transitava entre os limites da proteção e um amor de mãe pelos sobrinhos.

Oxford, onde Camila estudou literatura.

A Livraria Dom Casmurro, propriedade de Miguel na trama, teve como locação nos primeiros capítulos a livraria Argumento. Logo depois no Projac foi construído um cenário idêntico, com um busto de Machado de Assis quase cinco mil livros emprestados por editoras.[4]

Alguns atores passaram por treinamento especial e foram auxiliados por profissionais especializados, como nas locações da clínica Naturalis onde Helena (Vera Fischer) é sócia, que lidava com vários treinamentos de beleza, como acupuntura e fisioterapia, e no haras, que é comandado por Pedro. Os atores dessa locação receberam treinamento para lidar com os cavalos.[4]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz[5] Personagem
Vera Fischer Helena
Carolina Dieckmann[6] Camila Lacerda Fernandes
Reynaldo Gianecchini Eduardo (Edu)
José Mayer Pedro
Marieta Severo Alma Flora
Tony Ramos Miguel
Deborah Secco Íris
Helena Ranaldi Cíntia
Alexandre Borges Danilo
Giovanna Antonelli Capitu
Luigi Baricelli Frederico (Fred)
Regiane Alves Clara
Lília Cabral Ingrid
Fernando Torres Aléssio
Thalma de Freitas Zilda
Daniel Boaventura Alex
Júlia Feldens Maria Cecília
Flávio Silvino Paulo
Júlia Almeida Estela
Soraya Ravenle Yvete
Leonardo Villar Pascoal
Walderez de Barros Ema
Zé Victor Castiel Viriato
Juliana Paes Rita de Cássia (Ritinha)
Henri Pagnoncelli Orlando
Eliete Cigarini Sílvia
Vanessa Mesquita Simone
Luiz Nicolau Mauro (Maurinho)
Yara Lins Nilda
Umberto Magnani Eládio
Marly Bueno Olívia
Xuxa Lopes Glória
Paulo Figueiredo Rodrigo
Cynthia Benini Isabel
Leon Góes Bento
Ana Carbatti Aline
Luciano Quirino Laerte
Beatriz Lyra Cleide
Cléa Simões Irene
André Valli Onofre
Denise Sartori Ofélia
Luiz Baccelli Dr. César
Arlete Heringer Marta
Cláudio Gabriel Severino
Mônica Siedler Socorro
Max Fercondini Fábio
Monique Curi Antônia
Inez Vianna Márcia
Paulo Zulu Romeu
Edson Silva Heitor
Graziela di Laurentis Daniela
Alby Ramos Ubiraci (Bira)
Lulu Pavarin Clarice
Flávia Guimarães Ana
Felipe Rocha José Carlos (Zeca)
Juliana Silveira Patrícia (Paty)
Paulo Caruso Rubens (Rubinho)
Lionel Fischer Fernando
Alexandra Richter Elisa Campos
Miwa Yanagizawa Cel
Múcio Medeiros Carlos (Carlão)
Paula Tolentino Marcela
Carla Diaz Rachel
Samuel Mello Tide
Samantha Brandão Maria

Elenco de apoio[editar | editar código-fonte]

rowspan = "2"|Larissa Honorato || Nina

Ator / Atriz Personagem
José Lewgoy Ezequiel
Ana Maria Magalhães Lívia
Ana Ariel Doriana
Josie Antello Neuza
Francisco Carvalho Getúlio
Andréa Cavalcanti Verinha
João Junior Trindade
Nilton Marques Alfredo
Nany di Lima Noêmia
Joana Motta Liza
Salvatore Giuliano Luiz
Natã Beltrão Bruninho
Júlia Maggessi
Oliver Okazaki Toshio
Sônia Siqueira Marisa

Galeria[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Seu primeiro capítulo rendeu 45 pontos de média e 52 de pico. Esses índices foram inferiores aos da antecessora Terra Nostra, que marcou 52 pontos em sua estreia [7]

Sua menor audiência é de 32 pontos, alcançada no sábado 17 de junho de 2000.

No dia em que Camila, personagem de Carolina Dieckmann raspou a sua cabeça devido à leucemia, capítulo exibido no dia 9 de dezembro de 2000, a trama marcou 45 pontos. No capítulo de 11 de dezembro, com a continuação das cenas, a trama bateu recorde de audiência com 53 pontos e 61 de picos, com 79% de participação.[8]

Seu último capítulo marcou uma média de 59 pontos, com picos de 64, excelente para o horário.[9], consolidando 60 pontos.

A novela teve uma média final de 45,4 pontos.[10]

Reexibições[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo de 28 de fevereiro a 23 de setembro de 2005, substituindo Deus nos Acuda e sendo substituída por Força de um Desejo, em 150 capítulos. A trama enfrentou diversos problemas com o Ministério da Justiça para ser reprisada.[11][12]

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 15 de fevereiro a 14 de outubro de 2016, substituindo Fera Ferida e sendo substituída por Pai Herói, às 23h45.[13][14][15]

Curiosidades e críticas[editar | editar código-fonte]

  • A telenovela foi um grande sucesso de audiência e repercussão, graças a sua história envolvente e pelos temas abordados
  • Para compor a personagem Capitu, a atriz Giovanna Antonelli entrevistou várias garotas de programa, e tirou todas as dúvidas em relação a elas. Para a atriz, a sua personagem não era uma prostituta, e sim uma garota de programa. Pois ela era uma garota normal, que não dava brechas em relação a sua vida pessoal.[17]
  • Vera Fischer conseguiu uma licença para ficar duas semanas afastada da novela. O motivo era o estresse que a atriz vinha tendo, por conta do intenso ritmo das gravações.[18]
  • O Ministério da Justiça exigiu que a Globo retirasse do elenco da novela todos os menores de 18 anos, inclusive figurantes, e que exibisse a trama após as 21h. A justificativa da Justiça para as decisões foi que a trama possuía "cenas com conotação sexual e imagens de violência doméstica ou urbana". Além disso, os menores que estavam no elenco da novela não possuíam alvará judicial para poder atuar na trama.[19]
  • Para solucionar o caso, o autor Manoel Carlos escreveu as cenas "dos sumiços" dos atores, que estavam proibidos pela justiça de aparecer na TV. Cada um teve um desfecho diferente. A única atriz menor de idade que permaneceu na novela foi Júlia Almeida, pois ela havia conseguido um mandado de segurança e pôde continuar na trama.[20]
  • O casamento de Camila (Carolina Dieckmann) e Edu (Reynaldo Gianecchini) foi gravado inicialmente na igreja São Pedro de Alcântara, no bairro da Urca. Porém a Arquidiocese do Rio puniu a igreja por permitir as gravações dentro da capela. As cenas do casamento tiveram que ser gravadas em estúdio e sem a participação dos atores menores de idade[21].
  • Uma das cenas mais emocionantes é quando Camila (Carolina Dieckmann) raspa a cabeça ao descobrir que tem leucemia. A gravação aconteceu no dia 5 de dezembro de 2000 e contou com a forte emoção da atriz, que chorou de verdade durante a gravação. A cena foi ao ar no dia 9 de dezembro de 2000 e é lembrada até hoje [22]
  • Outra cena de cortar o coração é a morte da mãe de Íris (Deborah Secco), Ingrid (Lília Cabral). Ela é baleada durante um assalto e morre diante de sua filha que fica abalada psicologicamente, vendo o fantasma da mãe nos demais capítulos da novela. A cena do assalto corresponde ao capítulo 103 da versão original da novela.
  • A personagem Íris também despertava o ódio dos telespectadores. A atriz Deborah Secco já chegou a apanhar em um supermercado. A agressora bateu na atriz com a bolsa e enquanto batia, dizia que odiava muito a Íris. Deborah não se sentiu incomodada, muito pelo contrário, ficou feliz com a repercussão do seu trabalho.[24]
  • A gravidez de Helena (Vera Fischer) aos 44 anos e de modo natural, causou receio e críticas por parte dos especialistas em medicina reprodutiva. Segundo eles, a chance de uma mulher engravidar de modo natural depois dos 40 anos não chegava a 1%. Alguns afirmavam que na condição em que a personagem se encontrava (óvulos velhos, estresse e nenhum tratamento hormonal anterior), era quase impossível ocorrer gravidez. Ou seja, o caso mostrado na novela estava criando falsas expectativas nas mulheres.[25]
  • É a primeira novela dos anos 2000 a ser reexibida pelo Canal Viva.
  • Foi a primeira novela das oito, a ser reclassificada para maiores de 14 anos, sendo assim tendo seu horário alterado, para ás 21:00 horas.

Exibição Internacional[editar | editar código-fonte]

Laços de Família foi exibida em 66 países. O drama da personagem Camila (Carolina Dieckmann), que tinha leucemia, gerou uma campanha pela doação de órgãos em toda a América Latina e nos Estados Unidos.[26]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Troféu APCA[28][29]
Troféu Imprensa[30][31]
Prêmio Internet
TV Press

Deborah Secco, Giovanna Antonelli e Marieta Severo

Prêmio Qualidade Brasil
Melhores do Ano - Domingão do Faustão
Festival Latino Americano de Cine, Vídeo e TV de Campo Grande (2001)[32]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Galeria de personagens». Memória Globo. Arquivado desde o original em . Consultado em 8/1/2016. 
  2. Ficha técnica
  3. Maron, Alexandre (4 de junho de 2000). «Ela é carioca». Folha de S.Paulo. Consultado em 15 de setembro de 2011. 
  4. a b c d e Redação Memória Globo (julho de 2010). «Novelas - Laços de Família». Rede Globo. Consultado em julho de 2010. 
  5. «Laços de Família - Ficha técnica». Memória Globo. Consultado em 03 de agosto de 2015. 
  6. iG Gente (16 de setembro de 2010). «Carolina Dieckmann comemora 32 anos. Relembre momentos da atriz». iG. 
  7. «“Laços de Família” estreia com 45 pontos de audiência». Folha Online. 6 de junho de 2000. Consultado em 11 de março de 2015. 
  8. Redação Veja Online (Ed. 1682, 10 de janeiro de 2001). «Comportamento Geral». Revista Veja Online. Consultado em julho de 2010. 
  9. «"Laços de Família" acaba com pico de 64 pontos de audiência». Folha Online. 2 de fevereiro de 2001. Consultado em julho de 2010. 
  10. Mattos, Laura (9 de maio de 2010). «"Viver a Vida" tem pior audiência da década e recorde de merchandising». Folha Online. Consultado em julho de 2010. 
  11. Marque, Camila (15 de fevereiro de 2005). «Globo vai exibir versão light de "Laços de Família"». Folha Online. Consultado em julho de 2010. 
  12. Flávia Swerts (27 de fevereiro de 2005). «Globo tenta resgatar audiência do Vale a Pena Ver de Novo». Gazeta Digital. Consultado em 25 de julho de 2015. 
  13. «'Laços de família' voltará ao ar no Viva ano que vem - Patrícia Kogut, O Globo». Consultado em 2015-08-03. 
  14. «“Laços de Família” é a próxima reprise do canal Viva - Nilson Xavier, UOL». 3 de agosto de 2015. Consultado em 26 de fevereiro de 2016. 
  15. «"Laços de Família" estreia em 2016 no VIVA». Consultado em 2015-08-03. 
  16. Redação Folha Online (21 de junho de 2006). «Homenagem a Bussunda bate recorde de audiência do "Casseta"». Folha Online. Consultado em julho de 2010. 
  17. «Isto É entrevista Giovanna Antonelli». Isto É. 15 de janeiro de 2001. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  18. «Gravações de novela cansam Vera Fisher». Diário de Cuiabá. 7 de agosto de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  19. «Globo deve tirar menores de novela, determina Justiça». Terra. 14 de novembro de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  20. «"Laços de Família" muda sua trama e tira do enredo menores de 18 anos». Folha de S.Paulo. 28 de novembro de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  21. «Globo regrava "Laços de Família" e entra com recurso na Justiça». Folha Ilustrada. 15 de novembro de 2000. Consultado em 19 de junho de 2014. 
  22. Redação Folha Online (6 de dezembro de 2000). «Carolina Dieckmann aparece careca sábado em "Laços de Família"». Folha Online. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  23. «Em "Laços de Família", Íris toma uma surra de Helena». Folha Ilustrada. 12 de dezembro de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  24. «Ela gostou de apanhar». Isto É. 6 de dezembro de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  25. «Para médicos, na vida real a chance de uma mulher engravidar como Helena, de "Laços de Família", não chega a 1%». Folha de S.Paulo. 28 de janeiro de 2001. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  26. http://www.guiadoscuriosos.com.br/categorias/254/1/as-novelas-brasileiras-no-mundo.html
  27. Las teleseries brasileñas se toman la televisión chilena
  28. Redação APCA (julho de 2010). «Premiados de 2008: Os Melhores da APCA». Associação Paulista de Críticos de Artes. Consultado em julho de 2010. 
  29. Redação Memória Globo (julho de 2010). «2000- Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte». Rede Globo. Consultado em julho de 2010. 
  30. Redação Memória Globo (julho de 2010). «2000- Troféu Imprensa». Rede Globo. Consultado em julho de 2010. 
  31. Redação Terra (9 de março de 2008). «Silvio Santos anuncia melhores de 2007 com Troféu Imprensa». Terra Gente & Tv. Consultado em julho de 2010. 
  32. Redação Memória Globo (julho de 2010). «2001 - Prêmio no II Festival de Cine, Vídeo e TV». Rede Globo. Consultado em julho de 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]