TV Record Bahia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Record Bahia
Record Bahia
Record Bahia
Rua Jardim Federação 81, Federação.
Brasil
Tipo Empresa privada
Cidade de concessão Salvador, BA
Canais
5 analógico
21 UHF e 5.1 Virtual digital
Outros canais 05 – Feira de Santana
10 – Juazeiro
10 – Paulo Afonso
10 – TV Vilas
11 – Barreiras
11 – Bom Jesus da Lapa
13 – Serrinha
Digital em implantação
21 – Barreiras
21 – Juazeiro
22 – Feira de Santana
Slogan Se tem Bahia, tem Record no ar (local)
Se tem Brasil, tem Record no ar (rede)
Rede Rede Record
Fundador Assis Chateaubriand
Pertence a Rede Record
Proprietário Edir Macedo
Presidente Edson Conça
Fundação 04 de julho de 2011 (3 anos)
Prefixo ZYA 295
Cobertura Recôncavo, norte e oeste da Bahia
Redes anteriores Rede Tupi
TVS
SBT
Nome(s) anteriore(s) TV Itapoan
Potência 15 Kw
Página oficial Portal Record Bahia

A TV Record Bahia, também conhecida como Record Bahia ou Record Nordeste é uma emissora de televisão brasileira com sede na cidade de Salvador, capital do Estado da Bahia, possui sucursais em Vitória da Conquista e em Itabuna. Opera nos canais 5 VHF e 21 UHF digital e é uma emissora própria da Rede Record, sendo a principal do grupo na região Nordeste.[1] Sua sede está localizada no bairro da Federação.

A Record Bahia cobre mais de 12 milhões de telespectadores, em 272 municípios por toda a Bahia.[1]

História[editar | editar código-fonte]

TV Tupi (1960–1980)[editar | editar código-fonte]

As atividades da televisão no Brasil têm início em 3 de abril de 1950, através de transmissões experimentais. Em 18 de setembro do mesmo ano, é inaugurada a TV Tupi, a primeira emissora de televisão brasileira, em São Paulo.

Em 1956, os Diários Associados, através de Assis Chateubriand, adquirem nove estações de TV, com o objetivo de implantar uma antena transmissora em cada grande cidade do país.

Assim, quatro anos mais tarde, no dia 19 de novembro de 1960, é inaugurada em Salvador, na Bahia, a primeira emissora afiliada da TV Tupi e a primeira no Estado, a TV Itapoan,[2] operando no canal 5 da capital baiana. O sucesso da TV Itapoan na época foi tanto que os aparelhos de televisão chegaram a se esgotar nas lojas de Salvador.

Iniciando a década de 1960, emissora expandiu sinal para interior baiano através de enlaces nas cidades a cada dezenas de quilômetros.

Por conta da pouca tecnologia que dispunha entre as décadas de 1960 e 1970, que incluía transmissão por via satélite, a emissora teve muitas dificuldades em transmitir programações da Tupi vindas das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, pois vinham em via aérea (avião) e terrestre (ônibus), vindos por via malote, atrasando a veiculação em duas semanas. Quando os malotes com películas de filmes e as fitas U-matic não chegavam dentro do previsto, era preciso reapresentar um ou mais programas exibidos no dia anterior.

A situação piora quando, no dia 7 de julho de 1974, incêndio causado por falha elétrica queima todo o acervo da emissora. Após o incêndio, a TV Itapoan passa por uma grave crise financeira.

Em 1979, a emissora revela a então apresentadora Mara Maravilha, com o programa local infantil Clube do Mickey.

TVS (1980–1981)[editar | editar código-fonte]

Em 1980, com a extinção da Rede Tupi, a emissora é vendida para o Sistema Nordeste de Comunicação, do empresário Luiz Pedro Irújo e passa a retransmitir o sinal do TV Studios (TVS).

Na época a emissora, endividada, também teria a concessão de funcionamento cassada pelo governo federal. Porém após um lobby do político local Antônio Carlos Magalhães, a TV Itapoan não saiu do ar como aconteceu com as demais emissoras associadas. Semelhante ocorreu com a TV Brasília e a TV Borborema que também estão no ar até hoje.

Para sanar os problemas financeiros da emissora, é realizado um acordo com o Governo, relativo ao pagamento de impostos atrasados, e publica em jornal uma nota, pedindo a todo os credores que comparecessem a emissora para pagamento das dívidas existentes. Dessa forma foram sanadas as dívidas que castigavam e impediam o desenvolvimento da TV Itapoan.

SBT (1981–1997)[editar | editar código-fonte]

Em 1981, a TVS transforma-se em Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), e a TV Itapoan umas das primeiras afiliadas da recém-criada rede.

Nos anos 80, com a ascensão à política e a influência de Pedro Irújo na Bahia, consegue as retransmissoras de TV (RTV) nas cidades baianas, que em seguida o sinal da emissora fosse transmitido através de transmissões por microondas diretamente do Salvador chegasse às retransmissoras, ampliando o sinal da emissora e do SBT.

Em 1995, o sinal chega a alcançar quase 40% da Bahia, pois tinha outras afiliadas do SBT na época: as TVs Cabrália e a Sul Bahia.

No início de 1997, surgem informações dos problemas financeiros e administrativos dos familiares da Família Irújo na emissora, o empresário e político Pedro Irújo decidiu colocar a emissora à venda.

Rede Record (1997–atual)[editar | editar código-fonte]

Em abril de 1997, Pedro Irújo vende a emissora para a Central Record de Comunicação do bispo de igreja evangélica e empresário Edir Macedo, que assume a emissora em maio do mesmo ano.[3] A emissora foi comprada por R$ 36 milhões de reais, tornando-se a 20ª (vigésima) emissora própria da Record.[4] Com isto, surge informação do fim da afiliação do SBT.

Em maio, a emissora comunica em intervalos comerciais e a imprensa, que vai transmitir o sinal do SBT até às 23:59:59 do dia 15 de junho, quando a partir da meia-noite do dia 16 de junho, transmitirá a Record.[3]

No dia 28 de maio, Mara Maravilha, apresenta programa especial, por conta da entrada da Record na TV Itapoan.[5]

Em junho, a TV Itapoan se prepara a festa[6] pela entrada da Rede Record em toda a Bahia.[7]

Em 15 de junho, a TV Itapoan deixou de transmitir o SBT[3] e iniciou as operações da Rede Record na Bahia no dia 16 de junho.[3]

O SBT passou a ser representado na Bahia pela TV Aratu, que era afiliada da CNT. A troca de sinal foi simultânea da TV Aratu com o SBT, e a TV Itapoan com a Record. Além disto, a TV Aratu foi afiliada da Rede Manchete e foi também a primeira afiliada da Rede Globo no Estado, antes da fundação da TV Bahia.[carece de fontes?] Na época, a TV Itapoan adotou o nome "Itapoan/Record".

No dia 16 de junho de 1997, dia da estreia da Record na Itapoan[3] em que teve transmissão ao vivo pela rede, foi total fracasso: luz totalmente amadora, som não funcionava e apresentadora Ana Maria Braga (então contratada da emissora para apresentar o programa especial) ficou nervosa e insegura.[8]

Anos depois, a TV Itapoan aumenta sua área de cobertura para cerca de 150 municípios, o equivalente a aproximadamente 10 milhões pessoas.

Record Nordeste (2007–2011)[editar | editar código-fonte]

Em 11 de junho de 2007, a TV Itapoan passa a se chamar Record Nordeste, começando gerar a programação da Rede Record para os estados do Nordeste e Norte. Apesar do novo nome, a TV Itapoan permaneceu apenas no Canal 5 de Salvador. Há também a inauguração dos novos estúdios da emissora, entre eles a newsroom, que funciona como pólo de jornalismo da emissora em alcance local e regional. A TV Itapoan/Record Nordeste passa a transmitir direto da newsroom, em nível nacional, o telejornal Record News Nordeste, veiculado pela Record News, canal de notícias da Rede Record.

Em 19 de outubro de 2009, a TV Itapoan passa a transmitir pela primeira vez para todas afiliadas do Nordeste (de segunda às sextas, às 11h30 até 12hs) o telejornal Record Nordeste, com apresentação de Adriana Quadros (ex-TV Bahia), onde o jornal aborda as principais notícias dos estados nordestinos. A partir desse dia também, a emissora passa a utilizar a logomarca da Rede Record no canto da tela, atribuindo assim a marca da Record na "TV que mais cresce pra você". A transmissão foi até 19 de fevereiro de 2010, antes do fim do horário de verão.

Em outubro de 2010, a TV Itapoan voltou a transmitir para todas afiliadas do Nordeste no mesmo horário, telejornal Record Nordeste, com a mesma apresentadora. A transmissão foi até fevereiro de 2011, antes do fim do horário de verão. Depois da transmissão, a emissora nunca mais transmitiu este telejornal para afiliadas em 2011/2012 em diante.

No dia 19 de novembro de 2010, aniversário de 50 anos da emissora, foi inaugurada sinal digital em Salvador através do canal 21 com a potência de 2kw. Por enquanto ainda não se tem previsão da digitalização das suas retransmissoras no interior, mas já há movimentação para a implantação de algumas.

TV Record Bahia (2011-atual)[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de julho de 2011, a TV Itapoan (em Salvador) e a Record Nordeste (na Bahia e Nordeste) mudam dos nomes para se chamar oficialmente Record Bahia.[9]

Em 13 de outubro de 2012, às vésperas do segundo turno da eleição municipal em Salvador, advogados do candidato ACM Neto, da coligação “É Hora de Defender Salvador”, anunciaram que vão ingressar com ação na Justiça Eleitoral contra a TV Itapoan/Record Bahia, por “tratamento privilegiado” na programação local aos candidatos que apoiam Jaques Wagner e o rival na disputa Nelson Pelegrino, em detrimento do Neto.[10] O uso da emissora por fins eleitorais pra prejudicar Família Magalhães (que dominou política bahiana por décadas até 2007) gerou polêmica, pois o dono, Edir Macedo é notório apoiador do Governo Dilma Rousseff (ver Controvérsias).

No dia 3 de julho de 2013, após um ano e três meses na direção da emissora, o executivo Carlos Alves passou o cargo para Fabio Tucilho. Alves deixa a direção da emissora para assumir o mesmo cargo, desta vez como diretor executivo da TV Record Brasília.[11] A troca coincide no mesmo dia em que Alexandre Raposo, então Presidente da Record desde janeiro de 2005, foi substituído por Luiz Claudio Costa.[12]

Em 4 de julho, com a inauguração da segunda filial baiana da Record, no município de Itabuna, algumas retransmissoras da Record Bahia no sul e sudoeste baiano passaram transmiti-la. O nome da emissora é TV Record Bahia Cabrália[13] , a antiga TV Cabrália.

Em 1 de dezembro de 2014, a emissora promoveu uma reformulação geral em seus programas, com novos estúdios e cenários;[14] e iniciou as transmissões com sinal HD.[15] Além disso, o tradicional programa Se Liga Bocão, apresentado por José Eduardo, deixou de ir ao ar para dar lugar ao Balanço Geral Tarde após seis anos no ar.[15] [16]

Programas exibidos[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a programação nacional da Rede Record, a TV Record Bahia produz os seguintes programas:[15]

  • Balanço Geral Manhã, Jornalismo popular, apresentado por Raimundo Varela e ocasionalmente Adriana Quadros. Segunda a Sexta às 06h30.
  • Bahia no Ar, Jornalismo popular, apresentado por Jessica Senra. Segunda a Sexta às 07h30.
  • Balanço Geral Tarde, Jornalismo popular com ênfase policial e social, apresentado por José Eduardo. Segunda a Sexta às 12h00.
  • Cidade Alerta Bahia, Jornalismo popular com ênfase policial, apresentado por Adelson Carvalho e ocasionalmente Analice Salles. Segunda a Sexta às 18h55.
  • Balanço Geral Especial, Jornalismo popular, apresentado por Adelson Carvalho, aos sábados às 13h.
  • Bom D+, Programa de entretenimento musical, apresentado por Carla Cristina. Sábados às 13h45.
  • A Bahia Que a Gente Gosta, programa de entretenimento, apresentado por Ana Paula Farias. Domingos às 08h30.

Extintos[editar | editar código-fonte]

  • Bahia Record, Telejornal, apresentado por Carolina Lima.
  • Se Liga Bocão, Jornalismo policial e social, apresentado por José Eduardo
  • Verdade do Povo, Jornalismo policial, apresentado por Analice Salles.
  • Abre Coração, Programa de assistencialismo, apresentado por Claudio Luis.
  • O Mundo do Chiquinho, Programa infantil, apresentado por Edílson Oliveira da Silva (Chiquinho).
  • Esporte Record, Telejornal esportivo, apresentado por Silvio Mendes.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Processo por praticantes de religiões afro-brasileiras[editar | editar código-fonte]

Em 2003, a emissora foi processada junto com a TV Itapoan, por praticantes das religiões afro-brasileiras (como os pais de santo e babalorixás). Os religiosos se queixaram dos constantes ataques diários dos pastores-apresentadores nos programas de televisão religiosos da TV Itapoan e TV Cabrália, feitos pela Igreja Universal do Reino de Deus, onde eles falam das práticas religiosas afro-brasileira de “encosto”, palavra associada aos espíritos que prejudicam pessoas. Os religiosos afro-brasileiros queixaram também que templos religiosos que a mantinham dentro e fora de Salvador foram atacados e tiveram os locais santos destruídos pelos evangélicos, ligados ou não a igreja. Os ataques teriam sido incentivados pelos pastores-apresentadores. Os pais de santo (babalorixás) entraram ação judicial no Ministério Público contra a Igreja Universal do Reino de Deus na Bahia e exigiam o direito de resposta nos programas e cobram da Justiça, uma punição contra o que consideram uma violação à Constituição Federal, que permite a liberdade de cultos religiosos no Brasil.

Eleições 2012[editar | editar código-fonte]

Em 13 de outubro de 2012, às vésperas do segundo turno da eleição municipal em Salvador, advogados do candidato ACM Neto, da coligação “É Hora de Defender Salvador”, anunciaram que vão ingressar com ação na Justiça Eleitoral contra a TV Itapoan/Record Bahia, por “tratamento privilegiado” na programação local aos candidatos que apoiam Jaques Wagner e o rival na disputa Nelson Pelegrino, em detrimento de Neto.[10]

“O governador Jaques Wagner, por exemplo, foi entrevistado no programa Balanço Geral, duas vezes, na segunda e na quinta-feira. (...) O candidato eliminado no primeiro turno, Mário Kertész, por sua vez, participou do mesmo programa na quinta-feira, anunciando seu apoio ao candidato petista à prefeitura de Salvador. Nesta sexta-feira, foi a vez de outro candidato derrotado, o deputado Márcio Marinho, também ocupar a programação da televisão para apoiar Nélson Pelegrino. Ainda na terça-feira, a atração foi o petista Luiz Caetano.”, reclamam os advogados do candidato.[10]

“As emissoras de televisão são concessões públicas e a legislação determina que deem tratamento igual aos candidatos.”, afirma advogada Lilian Reis.[10]

Ao souber do processo, o presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia, acusou a emissora de está se transformando numa linha auxiliar da campanha do PT. “Não iremos permitir esta ilegalidade”, afirma Aleluia.[10]

Referências

  1. a b Record Bahia completa 54 anos de consagração R7 Bahia (18-11-2014). Visitado em 01-12-2014.
  2. Washington José de Souza Filho. Memórias do telejornalismo na Bahia – um olhar para o passado em busca da compreensão do futuro..
  3. a b c d e Leão Lobo Jornal Vale Paraibano (10 de maio de 1997).
  4. Num novo templo Veja (25 de junho de 1997).
  5. Mara Jornal Vale Paraibano (24 de maio de 1997).
  6. FESTA Jornal Vale Paraibano (7 de junho de 1997).
  7. FESTA Jornal Vale Paraibano (8 de junho de 1997).
  8. Estréia da Record decepciona baianos Jornal Vale Paraibano (22 de junho de 1997).
  9. TV Itapoan agora é Record Bahia e muda programação A Porrada (4 de julho de 2011).
  10. a b c d e Ronildo Brito (13 de outubro de 2012). Advogados de ACM Neto acionam Justiça contra TV Itapoan/Record Texeira News. Visitado em 05-07-2013.
  11. Da Redação (3 de julho de 2013, às 19:12). TV Record Bahia anuncia mudança na diretoria executiva Itapoan Online. Visitado em 04-07-2013.
  12. Da Redação (3 de julho de 2013, às 17:05). Record anuncia mudança na presidência da Emissora Itapoan Online. Visitado em 04-07-2013.
  13. Listando canais de Itabuna, BA Portal BSD (2-13). Visitado em 08-07-2013.
  14. Record Bahia começa transmissão HD; conheça os novos estúdios R7 Bahia (1-12-2014). Visitado em 1-12-2014.
  15. a b c Record Bahia começa hoje transmissões com sinal HD R7 Bahia (01-12-2014). Visitado em 01-12-2014.
  16. Programa 'Se Liga Bocão', da TV Record Bahia, será retirado do ar nos próximos meses Bahia Notícias (10-09-2014). Visitado em 01-12-2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
TV Itapoan
Canal 5 VHF de Salvador
1960 - 2011
Sucedido por
'