Zé Roberto (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Zé Roberto
Zé Roberto
Zé Roberto em 2011 atuando pelo Al-Gharafa
Informações pessoais
Nome completo José Roberto da Silva Júnior
Data de nasc. 6 de julho de 1974 (43 anos)
Local de nasc. São Paulo, São Paulo, Brasil,
Nacionalidade brasileira
alemã
Altura 1,76 m
Canhoto
Apelido Zé, Vovô Garoto
Informações profissionais
Período em atividade 1994–2017 (23 anos)
Posição Lateral esquerdo, meia, volante
Site oficial zerobertooficial.com/
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1994–1997
1997–1998
1998
1998–2002
2002–2009
2006–2007
2009–2011
2011–2012
2012–2014
2015–2017
Portuguesa
Real Madrid
Flamengo (emp.)
Bayer Leverkusen
Bayern de Munique
Santos (emp.)
Hamburgo
Al-Gharafa
Grêmio
Palmeiras
0061 0000(1)
0021 0000(1)
0024 0000(0)
0144 000(18)
0246 000(19)
0061 000(14)
0072 0000(8)
0012 0000(9)
0119 000(15)
0133 000(10)
Seleção nacional
1995–2007 Brasil 0084 0000(6)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 27 de novembro de 2017.

José Roberto da Silva Júnior, mais conhecido como Zé Roberto, (São Paulo, 6 de julho de 1974) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como meia ou lateral-esquerdo.

Atuou pela Seleção Brasileira, conquistando duas Copas América e duas Copas das Confederações, além de ter sido titular na Copa do Mundo de 2006. Era integrante do movimento Bom Senso F.C., que reivindicava uma melhor estrutura para o futebol do Brasil.[1]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Zé Roberto começou nas divisões de base do Palestra de São Bernardo, onde sempre apresentou um futebol diferenciado, caracterizado pelos belos dribles e passes geniais, despertando interesse da Portuguesa, que o levou para atuar na base logo no começo dos anos 90.

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

Em 1994, fez a sua estreia como profissional pela Portuguesa. Seu destaque foi dois anos mais tarde, em 1996, quando ainda jogava como lateral esquerdo. Acabou levando a Lusa para a final do Brasileirão de 1996, após um oitavo lugar na fase classificatória e vitórias sobre o Cruzeiro e Atlético Mineiro. No grande jogo decisivo contra o Grêmio em 11 de dezembro, venceu o jogo de ida por 2-0, mas na volta, quatro dias mais tarde, foi derrotado pelo mesmo placar. O critério que desempatou foi a posição na fase classificatória, em que o clube gaúcho ficou duas posições a frente. Ao fim do campeonato, Zé Roberto foi escolhido o Melhor Lateral Esquerdo do torneio pela Bola de Prata. Tal prêmio fez com que o jovem de 22 anos ganhasse destaque internacional, levando interesse de grandes clubes europeus.

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Seu último ano na Portuguesa foi 1997, quando transferiu-se oficialmente para o Real Madrid. Sua camisa na época era a 21, que foi deixada pelo ex-astro do futebol espanhol, Luis Enrique. A negociação girou em torno de €2,5M, o equivalente a $6,2M, se tornando a maior transação do futebol brasileiro envolvendo um lateral esquerdo. Apesar do grande assédio a Zé Roberto, ele produziu abaixo do esperado, sendo pouco aproveitado nas partidas do Campeonato Espanhol e atuando muitas vezes entre os reservas da equipe, disputando apenas 21 partidas.[2]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Seu rendimento baixo resultou em empréstimo ao Flamengo na mesma temporada. Chegou a tempo de disputar o Campeonato Brasileiro de 1998, atuando diversas vezes como lateral esquerdo. Tinha feito um bom ano com a camisa do clube carioca, o suficiente para o levar de volta a Europa. Após o termino do seu empréstimo com o Flamengo, o Real Madrid o negociou com o futebol alemão, indo parar no Bayer Leverkusen.

Futebol alemão[editar | editar código-fonte]

Zé Roberto com o Bayern na Allianz Arena na Bundesliga em 2006

Mesmo com certas turbulências, Zé alcançou o topo de sua carreira na Europa, quando chegou a Alemanha para se acertar com o Bayer Leverkusen no final dos anos 90. Por lá, jogou ao lado de grandes personagens do futebol internacional como o búlgaro Dimitar Berbatov, e o goleiro Hans-Jörg Butt. Essa passagem foi o início de uma grande amizade com o zagueiro Lúcio, que tinha acabado de sair do Internacional em uma cara negociação. Futuramente, ambos seriam companheiros no Bayern de Munique, época mais vitoriosa da dupla e da Seleção Brasileira treinada por Carlos Alberto Parreira. Juntos, levaram o clube alemão ao grande auge. Foram vice campeões do campeonato nacional nas temporadas 1998-99 e 2001-02, além de chegarem a final da Liga dos Campeões contra o Real Madrid, ex-clube de Zé Roberto. Nessa final, o já meio campista não jogou, e sua equipe acabou derrotada por 2-1.[3]

Em 2003 então, transferiu-se para outro clube alemão: o Bayern de Munique. Neste clube, Zé Roberto viveu a melhor fase de sua carreira e conquistou grande parte de seus títulos.

Evangélico, escreveu o livro "Zé Roberto, Colhendo Frutos em Terra Seca", da Editora Central Gospel.[4]

Na janela de transferências da temporada 2009-10, Zé Roberto se transferiu para o Hamburgo, da Alemanha, assinando um contrato de dois anos. Em junho de 2011, após o fim do contrato, Zé Roberto anunciou que não renovaria com o Hamburgo, o que levou alguns dirigentes de times de futebol animados com o fim do amor entre o jogador e a Alemanha, e foi para o Oriente Médio, mais precisamente para o Catar jogar pelo Al-Gharafa, para ocupar o lugar de Juninho Pernambucano, que foi jogar no Vasco

Al-Gharafa[editar | editar código-fonte]

Chegou no clube para suprir a ausência do Juninho Pernambucano, na época no Vasco da Gama. Estreou dando duas assistências pelo Campeonato Árabe, teve 9 gols e duas assistências e foi candidato a ser o melhor jogador do Campeonato Árabe.

Grêmio[editar | editar código-fonte]

O jogador se apresentou dia 4 de junho de 2012 no Grêmio, ganhando a camisa 10 e, tornando-se um dos destaques do time, juntamente com Elano, Gilberto Silva, Marcelo Moreno e Marcelo Grohe. Zé Roberto, fechou um contrato por um ano.

No processo de renovação de seu contrato para 2013 declarou em entrevista: "[...] Minha identificação com o Grêmio foi muito rápida, e sinto o carinho dos torcedores de uma forma que não vivi em outros grandes clubes que joguei"[5]

Apesar do prêmio Bola de Prata conquistado pelo desempenho no Campeonato Brasileiro de 2014, o clube não renovou seu contrato, que terminaria em 31 de dezembro de 2014.[6]

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

Zé Roberto durante cobrança de lateral, em 2016.

Em 22 de dezembro de 2014 foi contratado por um ano pelo Palmeiras.[7] Fez sua estreia oficial pelo clube em 31 de janeiro de 2015, numa vitória sobre o Audax por 3-1, numa partida válida pelo Campeonato Paulista.[8] Antes da partida, Zé Roberto deu uma expressiva preleção aos novos companheiros, sendo aclamado pela imprensa e pela torcida.[9] Após ser vice-campeão paulista pelo clube, Zé Roberto foi eleito o pela FPF o melhor lateral esquerdo da competição, sendo também incluso na seleção do campeonato.

Zé Roberto em partida pela Libertadores

Zé Roberto se transformou num dos principais líderes da equipe durante a temporada de 2015 e ficou com o posto de capitão durante a maior parte da temporada. Em 2 de dezembro de 2015, sagrou-se campeão da Copa do do Brasil de 2015 pelo Palmeiras na decisão contra o Santos que representou a primeira finalíssima da história disputada no Allianz Parque. Na decisão por pênaltis que definiu o título, foi um dos cobradores que tiveram êxito.[10] Zé renovou para 2016 e seguiu contrariando as estimativas do jogador 'veterano'. Aos 42 anos, disputou grande parte das partidas da temporada, salvou gols adversários, deu piques de menino e foi muitas vezes decisivo. Sagrou-se campeão brasileiro no dia 27 de novembro de 2016. Pouco mais de uma semana depois, renovou seu contrato por mais um ano, até o fim de 2017.[11] No dia 24 de maio de 2017, após fazer o terceiro gol contra o Atlético Tucumán pela última rodada da fase de grupos da Libertadores, se tornou o jogador mais velho a fazer um gol pela competição, com 42 anos, 10 meses e 18 dias.[12][13]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Zé Roberto também jogou na Seleção Brasileira, tendo participado de duas conquistas de Copa América e de Copa das Confederações.

Disputou também a Copa do Mundo de 1998, sendo vice-campeão, atuando ainda na lateral esquerda, reserva do então titular Roberto Carlos.

Apesar de ter disputado a Copa América e das Confederações de 1999, não foi o bastante para fazê-lo integrar o elenco da Copa do Mundo de 2002, na qual a Seleção Brasileira se consagraria campeã.

Na Copa do Mundo de 2006, apesar da campanha frustrante da Seleção Brasileira, Zé Roberto destacou-se como um dos melhores do torneio, fazendo inclusive parte da Seleção da Copa, eleita pela FIFA.[14]

Em 2007, quando estava no Santos, foi convocado para a disputa de mais uma Copa América. No entanto, o jogador acabou recusando o convite, optando por encerrar seu ciclo na seleção, a fim de poder retornar ao Bayern de Munique.[15]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Em 25 de novembro de 2017 anunciou sua aposentadoria após 23 anos de carreira.[16] Recebeu aplausos em seu último jogo, contra o Botafogo, em 27 de novembro de 2017.[17]

A partir de 2018 será assessor técnico, atuando diretamente com os jogadores e a comissão técnica do Palmeiras.[18]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 28 de novembro de 2017.[19][20]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
Nacional
Copa
Nacional[a]
Competições
Continentais[b]
Outros
Torneios[c][d]
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Portuguesa 1994 18 - - - - - - - - -
1995 19 1' - - - - - - - -
1996 25 - - - - - - - - -
Total 62 1 - - - - - - 62 1
Real Madrid 1996-97 9 0 0 0 0 0 0 0 9 0
1997-98 6 0 0 0 4 1 2 0 12 1
Total 15 0 0 0 4 1 2 0 21 1
Flamengo 1998 - - - - - - 24 0 24 0
Total - - - - - - 24 0 24 0
Bayer Leverkusen 1998/99 32 4 0 0 4 0 0 0 36 4
1999/00 27 7 0 0 3 0 0 0 30 7
2000/01 24 2 0 0 7 0 0 0 31 2
2001/02 30 4 2 0 15 1 0 0 47 5
Total 113 17 2 0 29 1 0 0 144 18
Bayern de Munique 2002/03 31 1 4 1 7 0 0 0 42 2
2003/04 30 2 2 0 7 0 1 0 40 2
2004/05 22 1 4 0 8 1 - - 34 2
2005/06 27 1 4 0 8 0 0 0 39 1
Total 110 5 14 1 30 1 1 0 155 7
Santos 2006 12 2 - - 1 0 - - 13 2
2007 1 0 0 0 14 7 20 3 35 12
Total 13 2 0 0 15 7 20 3 48 14
Bayern de Munique 2007/08 30 5 6 0 10 0 3 0 49 5
2008/09 29 4 4 1 9 2 - - 42 7
Total 59 9 10 1 19 2 3 0 91 12
Hamburgo 2009/10 23 6 2 0 14 1 - - 39 7
2010/11 31 1 2 0 - - - - 33 1
Total 54 7 4 0 14 1 - - 72 8
Al-Gharafa 2011/12 12 9 - - - - - - 12 9
Total 12 9 - - - - - - 12 9
Grêmio 2012 29 3 - - 4 1 - - 33 4
2013 23 3 1 0 9 3 9 4 42 10
2014 31 0 1 0 5 0 7 1 44 1
Total 83 6 2 0 18 4 16 5 119 15
Palmeiras 2015 26 2 9 4 - - 14 1 49 7
2016 27 1 4 1 5 0 9 0 45 2
2017 18 0 3 0 5 1 13 0 39 4
Total 71 3 13 5 5 1 23 1 133 10
Total na carreira 592 59 45 7 134 18 89 9 961 95

Títulos[editar | editar código-fonte]

Real Madrid
Bayern de Munique
Santos
Al-Gharafa
Palmeiras
Seleção Brasileira de Futebol

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Bom Senso F.C. - Página visitada em 03/08/2014.
  2. «Zé Roberto :: José Roberto da Silva Junior :: Palmeiras». www.ogol.com.br (em bretão). Consultado em 26 de maio de 2017 
  3. [1]
  4. Luxemburgo confirma estréia de Zé Roberto 14/9/2006
  5. Zé Roberto afirma que deve renovar contrato com Grêmio
  6. «Grêmio confirma saída de Zé Roberto». Correio do Povo. 9 de dezembro de 2014 
  7. «Zé Roberto assina por um ano, projeta dupla com Mago e diz: '2015 promete'». Sítio oficial SE Palmeiras. 22 de dezembro de 2014 
  8. [2]
  9. «Zé Roberto arrepia em preleção com "Edmundo é animal"». Terra Esportes. 31 de janeiro de 2015 
  10. [3]
  11. «Zé Roberto prolonga contrato com o Palmeiras por mais uma temporada». GloboEsporte. 9 de Dezembro de 2016 
  12. «Mais velho a fazer gol na Libertadores, Zé Roberto reafirma: "Paro neste ano"». Globoesporte 
  13. Elias, Bruno Alexandre (25 de maio de 2017). «Zé Roberto faz golaço e se torna o jogador mais velho a marcar na Libertadores». Palmeiras - site oficial. Consultado em 25 de maio de 2017 
  14. «Zé Roberto é o único brasileiro na seleção da Copa - Terra - Brasil». esportes.terra.com.br. Consultado em 26 de maio de 2017 
  15. «Zé Roberto pede dispensa da Seleção e não vai à Copa América». Extra Online 
  16. «Palmeiras anuncia: Zé Roberto, aos 43 anos, decide se aposentar». GloboEsporte.com. 25 de novembro de 2017. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  17. «Adeus: Zé Roberto recebe placa, camisa e aplausos em homenagem do Palmeiras». GloboEsporte.com. 27 de novembro de 2017. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  18. Felipe Zito; Tossiro Neto (28 de novembro de 2017). «Zé Roberto ganha cargo administrativo e seguirá no Palmeiras após aposentadoria». GloboEsporte.com. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  19. http://www.ogol.com.br/player_seasons.php?id=2603
  20. http://www.palmeiras.com.br/futebol/elenco/565-Z%C3%A9%20Roberto
  21. «Grohe, Zé Roberto e Aránguiz são premiados com Bola de Prata». ZH 2014 
  22. «Campeonato Brasileiro tem 49 jogadores que já ganharam a Bola de Prata». ESPN 
  23. Finalistas, Santos e Palmeiras dominam a seleção do Paulistão
  24. El 11 ideal de este año del continente americano

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Zé Roberto (futebolista)