Largo Sete de Setembro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Largo Sete de Setembro está situado na região central de São Paulo.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Um dos marcos da escravidão em São Paulo[2], no período colonial essa região abrigava o pelourinho, destinado ao castigo de escravos. O Largo ficava junto a Casa da Câmara e Cadeia, seguindo o modelo das construções da época, na região antigamente conhecida como Largo São Gonçalo, atual Praça João Mendes.

Há poucos metros dalí ocorriam execuções públicas no "Largo da Forca"[3], atual Praça da Liberdade.

O "Largo do Pelourinho" foi renomeado em 1865[4], como "Largo Sete de Setembro" em homenagem a Proclamação da Independência em 1822.

No Largo está o Fórum João Mendes, o maior da América Latina. O prédio, construído em 1954, acomoda 120 juízes, dois mil funcionários e circulam por ele 25 mil pessoas todos os dias.[5]

Referências

  1. «Largo Sete de Setembro : Juiz de Direito encaminha proposta de revitalização do espaço público a várias entidades». Migalhas. 22 de setembro de 2010. Consultado em 15 de janeiro de 2018 
  2. «G1 > Edição São Paulo - NOTÍCIAS - Apesar de renegada, a memória da escravidão persiste em São Paulo». g1.globo.com. Consultado em 15 de janeiro de 2018 
  3. «Diferentes épocas de São Paulo convivem na Liberdade – Patrimonio Histórico». patrimoniohistorico.prefeitura.sp.gov.br. Consultado em 15 de janeiro de 2018 
  4. «Prefeitura do Município de São Paulo». www.dicionarioderuas.prefeitura.sp.gov.br. Consultado em 15 de janeiro de 2018 
  5. «Fórum João Mendes Jr. recebe novas varas». Migalhas. 1 de dezembro de 2009 


Ícone de esboço Este artigo sobre uma praça é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.