Duque Bóris Vladescu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Bóris Vladescu)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Duque Bóris Vladescu ( ? , 26 de Agosto de 2002 ) era uma figura vampiristica, reconhecido como um dos mais poderosos vampiros, foi criado por Antônio Calmon. Também é conhecido como : Vampiro Bóris, Bóris Vladescu, Vampiro-Pai, Grande-morcego, Mestre dos Vampiros e Senhor-dos-dentes-compridos.

Sendo um vampiro, Bóris viveu aproximadamente 900 anos. O Duque Bóris Vladescu aterrorizou os personagens da novela o Beijo do Vampiro, exibida de 2002 a 2003. Personificado por Tarcísio Meira, o "Senhor dos Vampiros" protagonizou cenas ao mesmo tempo hilariantes e assustadoras na sua batalha incansável para conquistar Lívia (Flávia Alessandra), a reencarnação da Princesa Cecília, sua amada imortal na época medieval, e tomar de volta seu filho e único herdeiro Zeca (Kayky Brito), o menino vampiro. Cruel, insensível e arrogante, e ao mesmo tempo apaixonado, trapalhão e politicamente correto (proibia seus vampiros de morderem grávidas, crianças e deficientes físicos...), Bóris eternizou o bordão Maldição!, que berrava sempre com muitas exclamações quando algum de seus planos infalíveis não davam certo.

História[editar | editar código-fonte]

No século XI nasce um dos mais poderosos vampiros, o Duque Bóris Vladescu, um vampiro poderoso com imortal, mau, cruel, arrogante, e principalmente, trapalhão.

No século XII, Bóris se apaixona perdidamente pela Princesa Cecília, que ao contrario ela está casada com o Conde Rogério. E ela odeia Bóris, então, Bóris faz um duelo com seus pais, irmãos e seu esposo, dentro de um castelo medieval, o castelo de Almourol. No fim da batalha, Bóris e seus guerreiros matam os pais da princesa Cecília, o rei Dagoberto e a rainha Astride, seus irmãos, o príncipe Ranulfo e o príncipe Manfredo e seu marido, o Conde Rogério. A Princesa Cecília, vendo com que terá que ficar longe de seu amor e ter que casar com um vampiro, se suicida, se atira de uma sacada do castelo, para ficar longe de Bóris. Então, Deus joga em Bóris uma terrível maldição, terá que ficar andando nas noites escuras, determinando suas vítimas.

Depois de muito tempo, no século XVIII, Bóris se casa com Mina de Montmatre, e a vampiriza, e sabendo que ela não pode lhe dar um herdeiro, há larga na escuridão. E depois disso, Mina promete que dará uma terrível vingança ao o Duque Bóris Vladescu.

Em 1989, Bóris tem um filho com Marie, uma inglesa que morre após o parto, Bóris não podendo cuidar de seu filho Zeca, o troca na maternidade de Maramureş, por coincidência o filho trocado é filho de Lívia e Beto, reencarnação da Princesa Cecília e do Conde Rogério; Bóris joga o filho de Lívia na rua, mesmo sem saber que era de Lívia. Depois que Marie morre, Bóris pede perdão a Mina e ela fica com ele.

No século XXI, Bóris sabendo que Zeca já é um vampiro, volta a Maramureş com Mina para pegar seu filho e descobre que Lívia é a Princesa Cecília e faz de tudo para se casar com ela. Bóris faz com que Beto morra em um acidente de avião para tomar Lívia e seu dinheiro.

Mas tomar Lívia e Zeca não será fácil, terá que ficar em Maramureş, o que vampirizará, Victor, Godzila, Lara, Armando e Marta.

Em 3 de maio de 2003, em um duelo de vampiros, Bóris é atirado por uma flecha de fogo de uma besta, seu inimigo é o vampiro Nosferatu, que morre após ter atirado em Bóris, logo depois, Bóris desaparece. Algumas pessoas pensam que Bóris teria ido para seu caixão em sua mansão em Maramureş e fechado o castelo para ser esquecido.

Depois que Bóris desaparece, Zeca vira um menino normal, sem ser vampiro.