Companhia Paranaense de Energia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Copel)
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Copel
Companhia Paranaense de Energia S.A.
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa: CPLE3, CPLE5, CPLE6
Latibex: XCOP
NYSE: ELP
Indústria Energia
Telecomunicações
Gênero Sociedade de economia mista
Fundação 26 de outubro de 1954
Fundador(es) Bento Munhoz da Rocha Neto
Sede Curitiba, PR,  Brasil
Áreas servidas Paraná
Proprietário(s) Governo do Paraná
Presidente Luiz Fernando Leone Vianna
Pessoas-chave Luiz Eduardo da Veiga Sebastiani (CEO)
Empregados 8.573
Produtos Energia elétrica
Serviços de internet
Lucro Aumento R$ 1,336 bilhões (2014)
LAJIR Aumento R$ 1,858 bilhões (2014)
Faturamento Aumento R$ 13,919 bilhões (2014)[1]
Página oficial copel.com
Usina Hidrelétrica Governador Ney Aminthas de Barros Braga da Copel no interior do Paraná, próximo a cidade de Mangueirinha.

A Companhia Paranaense de Energia (COPEL) é uma empresa brasileira do estado do Paraná que gera, transmite e distribui energia elétrica e também atua nas áreas de telecomunicações em praticamente todo o Estado, com uma população estimada em 2009 de aproximadamente 10.686.247 habitantes e com um quadro de funcionários de aproximadamente 8.300 empregados.

Fundação da empresa[editar | editar código-fonte]

Foi fundada em 26 de outubro de 1954 (62 anos) pelo então governador Bento Munhoz da Rocha Neto, cujo objetivo inicial foi construir todo o sistema elétrico no Paraná, até à época praticamente inexistente.

Geração e transmissão de energia elétrica[editar | editar código-fonte]

Atualmente (Março de 2008), a Companhia Paranaense de Energia tem uma capacidade geradora de 4.550 MW, produzidos por dezoito usinas, estas com alto nível de automação e, portanto, comandadas a distância, algumas delas não possuindo operadores.

O sistema de transmissão de energia elétrica da Copel, no estado do Paraná, é formado por 1.822,0 km de linhas e 30 subestações de energia automatizadas e telecomandadas.

Distribuição de energia elétrica[editar | editar código-fonte]

Carro de serviço da Copel

Seu sistema de distribuição é formado por 178.979 km de linhas e 341 subestações, sendo 334 operadas a distância. Atende a mais de 3,4 milhões de unidades consumidoras em 393 municípios.

Telecomunicações[editar | editar código-fonte]

Começou a atuar neste setor em 1998 e já está presente em 183 cidades, com mais de 10.500 km de cabos ópticos instalados no Paraná, possui um sistema SDH para transporte de comunicação e informação a todas estas cidades, o primeiro instalado no Brasil. Conta com uma grande infra-estrutrura de rede IP-MPLS e também com redes de acesso metropolitano Gigabit Ethernet todo em fibras ópticas, permitindo amplas soluções de conectividade, de redes privadas e de acesso à Internet em todo o Estado.

Toda esta grande infraestrutura de telecomunicações forma e dá suporte para todos os operadores de serviços de telecomunicações que atuam, ou queiram atuar no Paraná, operadores de serviços de comunicações de rádio e TV e para empresas em geral em todo o Estado, sendo este o único estado do Brasil a contar com uma rede alternativa para provimento destes serviços.

Sua rede atende a mais de 500 empresas, da Ilha do Mel até Foz do Iguaçu e de Florestópolis até União da Vitória, e também já conecta mais de 2.000 escolas levando Internet e comunicação a todos os alunos das escolas públidas do Estado do Paraná.

Distribuição de gás[editar | editar código-fonte]

Atua na área de distribuição de gás, via empresa Compagás, atendendo a sete municípios do Paraná com Gás Natural para uso de empresas, residências e em veículos.

Energias renováveis[editar | editar código-fonte]

Desenvolve a prospecção e análise de viabilidade técnica e econômica de projetos de energias renováveis, incluindo a energia eólica, biodiesel, biodigestores, o levantamento do potencial de biomassa para fins energéticos e também projetos de energia limpa com o uso de carros elétricos, dentre outros.

Concessões rodoviárias[editar | editar código-fonte]

A empresa participou do leilão de novas concessões rodoviárias em 2008, não vencendo nenhum lote. Deve voltar a participar de leilões em oportunidades futuras.

Pesquisa e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Por ação própria e em conjunto com o LACTEC e outras importantes entidades de pesquisa tem realizado e desenvolvido diversos produtos que auxiliam na melhoria da qualidade, da confiabilidade e do suprimento dos seviços de energia elétrica, de distribuição de gás, de fontes alternativas e renováveis de energias e de telecomunicações aos cidadão e empresas de todo o Estado do Paraná.

Capital[editar | editar código-fonte]

A Copel abriu seu capital em abril de 1994 na Bovespa e em 1997 foi a primeira empresa do setor elétrico brasileiro a ter suas ações negociadas na bolsa de Nova York. Também tem suas ações negociadas desde 2002 na Latibex braço latino-americano da bolsa de valores de Madri. A partir do dia 7 de maio de 2008, as ações da Copel passaram a integrar oficialmente o Nível 1 de Governança Corporativa da Bolsa de Valores de São Paulo – Bovespa.

Falecimento do presidente da empresa[editar | editar código-fonte]

Em 24 de novembro de 2010, o então presidente da companhia, Ronald Thadeu Ravedutti, morreu em um acidente de carro no quilômetro 38 da BR-116, próximo a Campina Grande do Sul[2] . Outras duas pessoas que estavam no veículo, o motorista e um fotógrafo da companhia, sofreram apenas ferimentos leves. A causa do óbito do presidente fora a falta do uso do cinto de segurança (foi arremessado para fora do veículo, depois do mesmo rodar na pista e bater), em função do cinto, os outros ocupantes do veículo, tiveram apenas ferimentos e permaneceram vivos. No lugar de Ravedutti, a companhia anunciou interinamente para o cargo Raul Munhoz Neto, então diretor de Geração e Transmissão de Energia e de Telecomunicações da empresa.


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]