Encruzilhada do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Encruzilhada do Sul
Foto Aérea Praça Santa Bárbara - Encruzilhada do Sul

Foto Aérea Praça Santa Bárbara - Encruzilhada do Sul
Bandeira de Encruzilhada do Sul
Brasão de Encruzilhada do Sul
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 19 de julho
Fundação 19 de julho de 1849 (167 anos)
Gentílico encruzilhadense
Prefeito(a) Laise Krusser (PDT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Encruzilhada do Sul
Localização de Encruzilhada do Sul no Rio Grande do Sul
Encruzilhada do Sul está localizado em: Brasil
Encruzilhada do Sul
Localização de Encruzilhada do Sul no Brasil
30° 32' 38" S 52° 31' 19" O30° 32' 38" S 52° 31' 19" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Sudeste Rio-grandense IBGE/2008[1]
Microrregião Serras de Sudeste IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Rio Pardo, Pantano Grande, Santa Cruz do Sul, Dom Feliciano
Distância até a capital 170 km
Características geográficas
Área 3 438,503 km² [2]
População 24 537 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 7,14 hab./km²
Altitude 432 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,657 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 290,268 mil IBGE/2012[5]
PIB per capita R$ 11,765 57 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.encruzilhadadosul.rs.gov.br/
Câmara camaraencruzilhada.rs.gov.br

Encruzilhada do Sul é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul, localizado no Vale do Rio Pardo. Ao longo de sua história, já foi conhecido como Santa Bárbara de Encruzilhada, Encruzilhada e, por fim, Encruzilhada do Sul.[6] É o 20º (vigésimo) município mais antigo do estado do Rio Grande do Sul, tendo sido criado em 19 de julho de 1849[7]. Pertence à Mesorregião do Sudeste Rio-Grandense e à Microrregião das Serras de Sudeste. Dista 170 quilômetros da Capital Estadual, Porto Alegre, e 2.275 quilômetros da Capital Federal, Brasília.

História[editar | editar código-fonte]

Encruzilhada do Sul - Estrada

Ainda no Século XVIII, durante épocas de domínio português, porém marcado pelo confronto com os rivais espanhóis, foram demandados à Encruzilhada do Sul seus primeiros desbravadores. Estes, oriundos do Exército Português situado em Rio Pardo à época, e conhecido como 3º Regimento de Cavalaria de Guardas,e também sob denominação de "Regimento de Dragões de Rio Pardo". Tais soldados, quando instalados em Encruzilhada, escolheram como Santa protetora a imagem de Santa Bárbara, dando origem ao primeiro nome do local: Santa Bárbara de Encruzilhada.

No decorrer dos anos de 1715 até 1766 os primeiros habitantes instalaram-se no Capivari, região que hoje fica a alguns quilômetros da cidade.

Surgiram na campanha os primeiros estabelecimentos pastoris, formados por uma vanguarda de missionários e índios, que lutaram juntamente com guardas que protegiam a Província das invasões espanholas.

Com a doação de uma parte de terras ao governo, onde fica a cidade de Encruzilhada do Sul, por Domingos Bitencur, para que fosse construída uma freguesia, começou a chegada dos primeiros povoadores de Rio Pardo, São Paulo, Açores e Laguna. Estes pioneiros instalaram-se onde hoje existe a atual praça Barão do Quaraí, no qual abriram um caminho até a capela de Santa Bárbara. Hoje este caminho é a Av. Rio Branco, que nos meados de 1850 chamou-se de Rua Direita.

Em 1799 o povoado é elevado a condição de Capela Curada e em 1837 passou a condição de Freguesia.

A lei n° 178 de 19 de julho de 1849, assinada pelo Tenente General Francisco José de Sousa Soares de Andréa, deu autonomia política ao município. Porém, a instalação solene dos primeiros representantes da Câmara Municipal do Município fora em 2 de janeiro de 1850, data da posse dos eleitos no ano anterior. Como primeiro presidente desta, foi eleito o Sr. Felisberto Pereira Borges. Os demais vereadores eleitos foram os Srs. Joaquim Antônio Barbosa, Libindo José Moreira, Manuel Antônio Correia da Silveira, Enéas Apolinário Pereira de Morais, Manuel Bibiano dos Santos e Antônio Correira da Silveira.

Na data de 26 de novembro de 1857, a lei provincial que criou o núcleo colonial de São Feliciano, um 5° distrito de Encruzilhada, hoje Dom Feliciano, que posteriormente se emancipou de Encruzilhada.

No ano de 1938 Encruzilhada foi elevada à cidade, começando a se chamar Encruzilhada do Sul sete anos depois, em 1943. [8]

Ruas e avenidas[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1850 as ruas da então vila receberam denominações oficiais. Hoje elas são as principais ruas e avenidas da cidades, e suas atuais denominações são:

Nomes Atuais: Em 1850:
Praça Dr. Ozy Teixeira Praça Municipal
Praça Barão do Quarai O Retiro
Avenida Rio Branco Rua Direita
Rua Dr. Zeno Pereira Luz Rua Nobre
Rua Dom Feliciano Rua da Igreja
Rua Tomás Flores Rua da Luz
Rua Barão do Amazonas Rua da Lagoa
Rua Honório Florisbal Rua do Rosário
Rua Felipe Noronha Rua dos Alamos
Avenida Cel. Honório Carvalho Rua Alegre

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 30º32'38" sul e a uma longitude 52º31'19" oeste, estando a uma altitude de 432 metros. Sua população segundo o Censo Demográfico de 2010 era de 24.534 habitantes. O município conta com uma área territorial de 3.348,319 Km2. A sua densidade demográfica é de 7,33 hab/Km2. É um município que conta com as águas do rio Camaquã. Na sede do município encontram-se as nascentes de alguns arroios.

Praças e parques[editar | editar código-fonte]

Praça Dr. Ozy Teixeira[editar | editar código-fonte]

Em homenagem ao último intendente municipal e também primeiro prefeito do município, no qual mandou jardinar a então praça, mudando a fisionomia da cidade. Anteriormente esta praça denominou-se Julio de Castilhos, numa homenagem a este político gaúcho, seguidor do ideário positivista.

Na praça Dr. Ozy Teixeira encontra-se o Altar da Pátria, a Pira, construída por Fernando Romagnoli, majestoso monumento de arte, trabalho executado em granito de quatro cores, extraído das jazidas de granito de Encruzilhada do Sul. A Pira foi inaugurada em 31 de agosto de 1942 com o fogo simbólico vindo de São João del-Rei. Encontra-se também o monumento em homenagem a Tiradentes.

Praça Silvestre Corrêa[editar | editar código-fonte]

Chamada antigamente por Praça das Carretas e Praça da Igreja, homenageia o primeiro intendente municipal. A praça foi ajardinada em 1928 no governo do Dr. Ozy Teixeira.

O monumento ao médico sanitarista Dr. Clóvis Itaqui Trindade,encontrado na praça Silvestre Corrêa, o homenageia pelo amor e dedicação que teve à terra e ao povo encruzilhadense. Em 1939 veio para Encruzilhada com a finalidade de organizar a saúde pública no município. Para tal fim criou o Posto de higiene da Avenida Rio Branco. O monumento foi idealizado pelo Rotary local e teve a adesão do povo encruzilhadense, tanto das pessoas radicadas no município, como aquelas residentes em outras comunidades.

O monumento de Ruy Barbosa colocado em destaque na parte central da praça, ficava dois degraus mais elevado do que o restante da mesma. Na esquina da praça com a rua D. Feliciano encontra-se, entre frondosas árvores, destacando uma das figuras mais importantes do cenário nacional

Praça Barão do Quaraí[editar | editar código-fonte]

Homenageando Dr. Pedro Rodrigues Fernandes Chaves, o Barão do Quaraí, homem que muito contribuiu para a formação do município, localiza-se na entrada da cidade, e fora antigamente conhecida como O Retiro. Foi inaugurada no ano de 1949 nela se encontram os monumentos em homenagem ao Centenário do Município (1949), ao Sesquicentenário da Revolução Farroupilha (1985) e a Santa Bárbara, padroeira do município.

Parque Desidério Finamor[editar | editar código-fonte]

Também conhecido como Parque de Exposições, é o local onde se realizam as exposições e feiras agropecuárias do município, como o extinto Festival Estadual da Ovelha. No local pode ser encontrado um obelisco em homenagem ao primeiro prefeito da cidade, Dr. Ozy Teixeira.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia encruzilhadense se baseia no comércio, fruticultura, silvicultura e agropecuária, com produção de soja, trigo, arroz, bovinos e ovinos. Há também grande potencial para a extração de rochas graníticas, tanto ornamentais quanto de revestimento[9]. Segundo dados do IBGE, o setor terciário representa mais metade do Produto Interno Bruto do município, seguido do setor primário como o segundo com maior representatividade no PIB municipal, ficando o setor secundário com menor representatividade: cerca de 10%. [10]

Setor Primário[editar | editar código-fonte]

Fruticultura[editar | editar código-fonte]

Encruzilhada demonstra grande potencial para a fruticultura, sendo o município com maior área plantada para o cultivo de melancias do estado.[11] Também há a plantação de amoras, figo, kiwi, maçã, pêra, pêssego e uvas[12].

Silvicultura[editar | editar código-fonte]

A silvicultura é uma das áreas que mais cresceram no município nos últimos anos. Gera mais de 2.200 empregos diretos, com uma área plantada de mais de 80.000 hectares, com qualidades de pinus, eucaliptos e acácias. A Celulose Riograndense é a empresa de maior representatividade atuante nesta área no município. Atualmente, o reflorestamento gera em torno de 23% da arrecadação do município.[13][14]

Vitivinicultura[editar | editar código-fonte]

Encruzilhada do Sul é considerada o novo polo vitivinícola do Brasil, com um "terroir" diferenciado, que tem produzido vinhos de extrema qualidade e autenticidade. O clima e solo tem se mostrado ideais para o cultivo de uvas varietais destinadas à produção de vinhos finos.  Atualmente, há 16 vinícolas com parreirais em Encruzilhada do Sul, entre elas, vinícolas conhecias nacional e internacionalmente, como Lídio Carraro, Casa Valduga, Angheben Vinhos Finos e Moët & Chandon, porém todas processam as uvas em outros locais, que não na própria cidade. A única vinícola que cultiva e elabora seus vinhos em Encruzilhada do Sul, é a Bodega Czarnobay. O município conta com mais de 5.360 hectares de vinhedos, com o cultivo de uvas inéditas no Brasil, cepas de origem européia, como a tempranillo, teroldego, touriga nacional e barbera.

Setor Secundário e Terciário[editar | editar código-fonte]

O setor secundário encruzilhadense, de menor representatividade junto ao PIB, tem como grande representante a Forjasul Madeiras S.A., que beneficia madeira extraída no município para o grupo Tramontina, ao qual pertence. Já o setor terciário, baseia-se, basicamente, por micro empresas, porém também há a presença de grandes grupos de importância estadual, como Lojas Colombo, dona da quinta maior rede de eletrodomésticos do Brasil. Ainda há um órgão de representação dos dirigentes lojistas da cidade: a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Encruzilhada do Sul.

Paleontologia[editar | editar código-fonte]

No município estão localizados afloramentos de grande importância e que têm contribuido para a paleobotânica na Formação Rio Bonito e data do Sakmariano, no Permiano.[15]

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 26 de janeiro de 2015. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2012». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 16 de outubro de 2015. 
  6. «IBGE | Cidades | Rio Grande do Sul | Encruzilhada do Sul | Histórico». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 2016-02-24. 
  7. «CRONOLOGIA DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL» (PDF). Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. Junho de 2008. Consultado em 5 de setembro de 2016. 
  8. «IBGE | Cidades | Rio Grande do Sul | Encruzilhada do Sul | Histórico». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 2016-04-03. 
  9. «Granito Encruzilhadense». Consultado em 24/04/2015. 
  10. «IBGE | Cidades | Infográficos | Rio Grande do Sul | Encruzilhada do Sul | Economia». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 2015-11-15. 
  11. «Safra de Melancia». Consultado em 24 de abril de 2015. 
  12. «Fruticultura». Consultado em 24 de abril de 2015. 
  13. «Extração Vegetal e Silvicultura». Consultado em 24 de abril de 2015. 
  14. «Silvicultura em Encruzilhada do Sul». Consultado em 24 de abril de 2015. 
  15. Coricladus quiteriensis gen. et sp. nov., a new conifer in Southern-Brazil Gondwana (Lower Permian, Paraná Basin)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]