Itaú Cultural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Instituto Itaú Cultural)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo.
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Instituto Itaú Cultural
Tipo Pesquisa, produção e mapeamento cultural
Inauguração 1987
Diretor Milú Villela
Website www.itaucultural.org.br/
Geografia
Localidade São Paulo

O Instituto Itaú Cultural, concebido por Olavo Egydio Setúbal e criado pela Lei nº 7505, de 3 de outubro de 1986, tem por objetivo o mapeamento de manifestações artísticas e incentivar a pesquisa e a produção artísticas e teóricas relacionadas aos mais diversos segmentos culturais.

"O Instituto Itaú Cultural tem por objeto incentivar, promover e pesquisar linguagens artísticas e eventos culturais, bem como preservar o patrimônio cultural do país, em atuação direta ou de forma associada...(...)" - Estatuto de Criação.

O mapeamento de segmentos é realizado a partir do programa Rumos,[1] artes visuais, cinema, dança, educação, jornalismo cultural, literatura, música, pesquisa, teatro, a bienal de arte e tecnologia Emoção Art.ficial[2] e suas enciclopédias online,[3] que formam os seus grandes eixos de atuação.

Foi eleita pelo Great Place to Work Institute (GPTW) como uma das cem melhores empresas para se trabalhar no Brasil.[4]

O local é um instituto direcionado para pesquisas e produção de conteúdo, e consegue receber até três exposições (sempre gratuitas) simultaneamente, que normalmente trazem a trajetória de músicos, atores, pintores, artistas, entre outras personalidades que contribuíram para o conhecimento nacional. As mostras são voltadas para jovens que futuramente se utilizam delas para suas próprias produções. O Itau cultural também tem programações de cinema, restaurantes e café.[5]

Os visitantes têm, por meio da midiateca, acesso ao acervo de mais de trinta mil documentos falando sobre arte e cultura brasileira em livros, filmes e coleções de cd's e dvd's, que podem ser tanto alugados quanto usados no local. O museu Itaú Numismática - Museu Herculano Pires também pode ser visitado e possui uma media de 7 mil itens, entre eles moedas, condecorações e medalhas.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Criado em 1987, com a inauguração do primeiro Centro de Informática e Cultura (CIC I), o Instituto Itaú Cultural passou a ser aberto ao público em 5 de outubro de 1989. Seu Banco de Dados Informatizado passa a ser disponibilizado aos visitantes, e o instituto torna-se a primeira instituição da América Latina a oferecer esse tipo de serviço.

Em 1997 é lançada a primeira edição do Rumos, programa de fomento da produção artística em várias áreas como artes visuais, tecnologia, dança, entre outros e que se tornará o carro-chefe das ações do Instituto. Um ano depois, em 1998, a Instituição adota sua atual logomarca e a denominação Instituto Itaú Cultural.

No ano 2000 o Itaú Numismática - Museu Herculano Pires é aberto ao público, no 9º andar do Itaú Cultural, com acervo de mais de 2 mil moedas, medalhas e condecorações brasileiras.

Em 2001, Milú Villela assume a presidência da Instituição e é inaugurada a Enciclopédia Itaú Cultural de Artes Visuais, evolução do trabalho iniciado em 1987 com a criação do Banco de Dados Informatizado. Em 2004, A Enciclopédia Itaú Cultural de Teatro, obra de referência virtual sobre as atividades do teatro no Rio de Janeiro e em São Paulo, de 1938 a 2000, com um total de 600 verbetes, é lançada no site Itaú Cultural.

Em 2007, O instituto celebra duas décadas com o lançamento do novo site, da web-rádio, das revistas Continuum e Observatório Itaú Cultural e da exposição Itaú Cultural 20 Anos.

Rumos[editar | editar código-fonte]

Principal programa do Itaú Cultural, o Rumos, foi criado em 1997 com o objetivo de estimular a produção artística e intelectual brasileira nas áreas de música, artes visuais, audiovisual, dança, pesquisa, arte e tecnologia, literatura, educação e jornalismo cultural.

De caráter nacional, o Rumos mobiliza, por meio de editais, artistas e criadores de todas as regiões brasileiras, ampliando o olhar para a arte que é feita fora do eixo Rio-São Paulo. Em seus 16 anos desde a criação, o programa já selecionou 1130 artistas, produtores e pesquisadores e seus trabalhos já alcançaram mais de 5,1 milhões de pessoas.

Em 2014 a enciclopédia online passou a incluir verbete de episódios e artistas das áreas da dança, cinema e música e foi readequada para ser acessada de forma unificada[6].

Referências

  1. «Rumos». Instituto Itaú Cultural. Consultado em 4 de agosto de 2010 
  2. «emoção art.ficial». Instituto Itaú Cultural. Consultado em 4 de agosto de 2010 
  3. «Enciclopédias». Instituto Itaú Cultural. Consultado em 4 de agosto de 2010 
  4. Revista Época, n. 588, 24 de agosto de 2009.
  5. «Itaú Cultural | Da Redação | VEJA SÃO PAULO». 16 de março de 2015. Consultado em 25 de abril de 2017 
  6. Enciclopédia com nova versão Site Paraná Online

Ligações externas[editar | editar código-fonte]