Mesorregião do Extremo Oeste Baiano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Extremo Oeste Baiano
Unidade federativa  Bahia
Mesorregiões limítrofes Vale São Franciscano da Bahia; Leste Goiano (GO); Norte Goiano (GO); Noroeste de Minas (MG); Norte de Minas (MG); Sudoeste Piauiense (PI); Oriental do Tocantins (TO)
Área 116.786,918 km²
População 524.220 hab. est. 2005
Densidade 4,5 hab/km²
Indicadores
PIB R$ 3.474.978.240,00 IBGE/2003
PIB per capita R$ 6.848,02 IBGE/2003

A mesorregião do Extremo Oeste Baiano é uma das sete mesorregiões do estado brasileiro da Bahia. É formada pela união de 24 municípios agrupados em três microrregiões. Os municípios mais populosos são Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e Santa Maria da Vitória.

Esta vasta região baiana pertenceu a Pernambuco até meados de 1824. D. Pedro I a desligou do território pernambucano como punição pelo movimento separatista conhecido como Confederação do Equador. A então Comarca do São Francisco foi o último território desmembrado de Pernambuco, impondo àquele estado uma grande redução da extensão territorial, de 250 mil km² para os 98.311 km² atuais. Após três anos sob administração mineira, a região foi anexada à Bahia em 1827.[1] [2] [3]

Com altos índices pluviométricos e terras férteis, está atualmente inserida na região conhecida como "MATOPIBA", considerada a última fronteira agrícola do país. Marcada pela recepção de produtores rurais migrantes da Região Sul, a mesorregião do Extremo Oeste Baiano é hoje uma das maiores produtoras de soja e algodão do Brasil.[4]

Microrregiões[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

Graças a esta privilegiada bacia hidrográfica, à topografia plana e ao clima com estações definidas, foi possível a expansão das lavouras de sequeiro e a implantação dos projetos de irrigação, especialmente nos municípios de Barreiras e São Desidério.

Nas duas últimas décadas, o cultivo de grãos juntamente com a pecuária, definiram uma nova dinâmica à economia de toda a região, o que impulsionou o processo de crescimento e desenvolvimento econômico das três microrregiões (Barreiras, Santa Maria, Barra), sendo a de Barreiras, com 7 municípios, a principal, que é hoje a maior expressão do desenvolvimento da região.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

A Região Oeste da Bahia fica à margem esquerda do Rio São Francisco, banhada pelas bacias dos rios Grande, Preto, Corrente e Carinhanha, formada por 29 rios perenes. Geograficamente está inserida na região mais rica em recursos hídricos do Nordeste Brasileiro. As bacias desses rios atingem 62 400 km² o que equivale a 82% das áreas dos cerrados.

Municípios mais populosos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Confederação do Equador Britannica Escola. Visitado em 6 de junho de 2015.
  2. Comarca do São Francisco PE-AZ. Visitado em 6 de junho de 2015.
  3. A formação territorial do Oeste Baiano: a constituição do “Além São Francisco” (1827-1985), por Paulo Roberto Baqueiro Brandão, professor assistente da Universidade Federal da Bahia (Campus de Barreiras) [1]
  4. A explosão da soja e do algodão baiano Folha do Fazendeiro. Visitado em 5 de junho de 2015.