Mesorregião do Extremo Oeste Baiano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Extremo Oeste Baiano
Unidade federativa Bahia Bahia
Mesorregiões limítrofes Vale São Franciscano da Bahia; Leste Goiano (GO); Norte Goiano (GO); Noroeste de Minas (MG); Norte de Minas (MG); Sudoeste Piauiense (PI); Oriental do Tocantins (TO)
Área 116.786,918 km²
População 524.220 hab. est. 2005
Densidade 4,5 hab/km²
Cidade mais populosa Não disponível
PIB R$ 3.474.978.240,00 IBGE/2003
PIB per capita R$ 6.848,02 IBGE/2003

A mesorregião do Extremo Oeste Baiano é uma das sete mesorregiões do estado brasileiro da Bahia. É formada pela união de 24 municípios agrupados em três microrregiões (de Barreiras, Cotegipe e Santa Maria da Vitória). Os municípios mais populosos são Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e Santa Maria da Vitória.

Esta vasta região baiana pertenceu a Pernambuco até meados de 1824. D. Pedro I a desligou do território pernambucano como punição pelo movimento separatista conhecido como Confederação do Equador. A então Comarca do São Francisco foi o último território desmembrado de Pernambuco, impondo àquele estado uma grande redução da extensão territorial, de 250 mil quilômetros quadrados para os menos de 100 mil quilômetros quadrados atuais. Após três anos sob administração mineira, a região foi anexada à Bahia em 1827.[1][2][3]

Com altos índices pluviométricos e terras férteis, está atualmente inserida na região conhecida como "MATOPIBA", considerada a última fronteira agrícola do país. Marcada pela recepção de produtores rurais migrantes da Região Sul, a mesorregião do Extremo Oeste Baiano é hoje uma das maiores produtoras de soja e algodão do Brasil.[4]

A cidade de Barreiras tem uma população de aproximadamente 160 mil habitantes e se distaca como a principal cidade da região.[5]

Barreiras é a maior cidade do oeste baiano e é o principal centro cultural, econômico, médico, político, rodoviário, turístico, universitário e urbano dessa região. É conhecida como a Capital do Oeste Baiano sendo a maior em população e consideranda pelo IBGE como uma cidade de grande polarização regional.[6]

Economia[editar | editar código-fonte]

Graças a esta privilegiada bacia hidrográfica, à topografia plana e ao clima com estações definidas, foi possível a expansão das lavouras de sequeiro e a implantação dos projetos de irrigação, especialmente nos municípios de Barreiras e São Desidério.

Nas duas últimas décadas, o cultivo de grãos juntamente com a pecuária, definiram uma nova dinâmica à economia de toda a região, o que impulsionou o processo de crescimento e desenvolvimento econômico das três microrregiões (Barreiras, Santa Maria, Barra), sendo a de Barreiras, com 7 municípios, a principal, que é hoje a maior expressão do desenvolvimento da região.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A Região Oeste da Bahia fica à margem esquerda do Rio São Francisco, banhada pelas bacias dos rios Grande, Preto, Corrente e Carinhanha, formada por 29 rios perenes. Geograficamente está inserida na região mais rica em recursos hídricos do Nordeste Brasileiro. As bacias desses rios atingem 62 400 quilômetros quadrados, o que equivale a 82% das áreas dos cerrados.

Municípios[editar | editar código-fonte]

Para listas mais abrangentes, consulte Lista de municípios da Bahia por população.
Pos. Município Microrregião População
(hab.)[7]
1 Barreiras Microrregião de Barreiras 155 519
2 Luís Eduardo Magalhães Microrregião de Barreiras 79 162
3 Santa Maria da Vitória Microrregião de Santa Maria da Vitória 41 782
4 Correntina Microrregião de Santa Maria da Vitória 33 275
5 São Desidério Microrregião de Barreiras 33 168
6 Santa Rita de Cássia Microrregião de Cotegipe 28 988
7 Santana Microrregião de Santa Maria da Vitória 27 381
8 Formosa do Rio Preto Microrregião de Barreiras 25 652
9 Riachão das Neves Microrregião de Barreiras 23 290
10 Cocos Microrregião de Santa Maria da Vitória 19 449
11 Serra Dourada Microrregião de Santa Maria da Vitória 18 352
12 São Félix do Coribe Microrregião de Santa Maria da Vitória 15 738
13 Coribe Microrregião de Santa Maria da Vitória 14 954
14 Angical Microrregião de Cotegipe 14 707
15 Cotegipe Microrregião de Cotegipe 14 409
16 Cristópolis Microrregião de Cotegipe 14 354
17 Baianópolis Microrregião de Barreiras 14 264
18 Tabocas do Brejo Velho Microrregião de Cotegipe 14 043
19 Mansidão Microrregião de Cotegipe 13 864
20 Wanderley Microrregião de Cotegipe 12 971
21 Brejolândia Microrregião de Cotegipe 11 127
22 Canápolis Microrregião de Santa Maria da Vitória 10 146
23 Jaborandi Microrregião de Santa Maria da Vitória 9 138
24 Catolândia Microrregião de Barreiras 3 695

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Confederação do Equador». Britannica Escola. Consultado em 6 de junho de 2015 
  2. «Comarca do São Francisco». PE-AZ. Consultado em 6 de junho de 2015 
  3. A formação territorial do Oeste Baiano: a constituição do “Além São Francisco” (1827-1985), por Paulo Roberto Baqueiro Brandão, professor assistente da Universidade Federal da Bahia (Campus de Barreiras) [1]
  4. «A explosão da soja e do algodão baiano». Folha do Fazendeiro. Consultado em 5 de junho de 2015 
  5. http://www.creciba.gov.br/portal-do-corretor/eventos-e-materias/item/976-barreiras-desenvolvimento-promissor
  6. «Barreiras - A Capital do Oeste Baiano». riodeondas. Site rio de ondas. 2010. Consultado em 5 de Janeiro de 2011 
  7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. «População dos municípios brasileiros». Consultado em 21 de janeiro de 2017