Saltar para o conteúdo

Rússia: diferenças entre revisões

156 bytes adicionados ,  15h54min de 4 de novembro de 2020
m
sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de MachoOdin517 para a última revisão de DARIO SEVERI, de 00h25min de 2 de outubro de 2020 (UTC))
Etiqueta: Reversão
m
A saída da Rússia da Primeira Guerra Mundial, o desejo da volta do poder da então elite russa e o medo de que o ideário comunista poderia propagar-se pela Europa e eventualmente pelo mundo, fez eclodir a [[Guerra Civil Russa]], que contou com a participação de diversas nações. O então primeiro-ministro francês, [[George Clemenceau]], criou a expressão ''[[Cordão Sanitário]]'', com o intuito de isolar a Rússia bolchevique do restante do mundo. O idealismo dos bolchevique propagado para a população mais pobre foi o fator decisivo para a vitória dos partidários de Lênin.<ref name="Revolução Russa"/>
 
Após a Revolução de Outubro, [[Guerra Civil Russa|uma guerra civil]] eclodiu entre o [[Exército Branco]], que era [[anticomunista]], e o novo regime soviético com o seu [[Exército Vermelho]]. A Rússia bolchevista perdeu seus territórios ucranianos, [[Polônia|poloneses]], [[Países Bálticos|bálticos]] e [[Finlândia|finlandeses]] ao assinar o [[Tratado de Brest-Litovsk]], que acabou com as hostilidades com as [[Potências Centrais]] da [[Primeira Guerra Mundial]]. As [[Aliados da Primeira Guerra Mundial|potências aliadas]] lançaram uma [[Intervenção dos Aliados na Guerra Civil Russa|intervenção militar]] mal sucedida em apoio de forças anticomunistas. Entretanto tanto os bolcheviques quanto o movimento branco realizaram campanhas de deportações e execuções contra os outros, episódio que ficou conhecido, respectivamente, como [[Terror Vermelho]] e [[Terror Branco (Rússia)|Terror Branco]]. Até o final da guerra civil russa, a economia e a infraestrutura do país foram profundamente danificadas. Milhões de membros do movimento branco [[Emigração|emigraram]],<ref>{{citar web |url=http://books.google.com/books?id=uUsLAAAAIAAJ&pg=PA3 |título=Transactions of the American Philosophical Society}} James E. Hassell (1991), p. 3. ISBN 0-87169-817-X</ref> enquanto a [[fome russa de 1921]] matou cerca de 5 milhões de pessoas.<ref>{{citar web|url=http://web.archive.org/web/20121219101057/http://www.icrc.org/eng/resources/documents/misc/5rfhjy.htm|título=Famine in Russia: the hidden horrors of 1921}} International Committee of the Red Cross</ref>
 
=== União Soviética ===
Em 2009, a expectativa média de vida na Rússia era de 62,77 anos para os homens e 74,67 anos para as mulheres.<ref>{{citar web|url=http://www.gks.ru/free_doc/new_site/population/demo/demo26.xls|título=Russian life expectancy figures}} Rosstat. Acessado em 21 de agosto de 2010</ref> O maior fator que contribui para a expectativa de vida relativamente baixa do sexo masculino é uma alta [[taxa de mortalidade]] entre os homens em idade de trabalho por causas evitáveis, como por exemplo, intoxicação por [[álcool]], [[tabagismo]], [[Acidente de automóvel|acidentes de trânsito]] e [[crime]]s violentos.<ref name=gks/> Como resultado da grande diferença de gênero na expectativa de vida e por causa do efeito duradouro do grande número de vítimas na [[Segunda Guerra Mundial]], o desequilíbrio entre os sexos permanece até hoje, havendo 0,859 homens para cada mulher.<ref name=cia>{{citar web|último =The World Factbook|título=Russia|publicado=Central Intelligence Agency|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/rs.html|obra=CIA|acessodata=26 de dezembro de 2007}}</ref>
 
A [[taxa de natalidade]] da Rússia é maior do que a da maioria dos países europeus — 12,4 nascimentos por {{Fmtn|1000}} pessoas em 2008,<ref name=gks/> em comparação com a média da [[União Europeia]], de 9,90 por {{Fmtn|1000}},<ref>{{citar web|último =The World Factbook|título=Rank Order—Birth rate|publicado=Central Intelligence Agency|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2054rank.html|acessodata=25 de abril de 2009}}</ref> enquanto a taxa de mortalidade é substancialmente mais elevada. Em 2009, a taxa de mortalidade da Rússia foi de 14,2 por {{Fmtn|1000}} pessoas,<ref name=gks/> em comparação com a média de 10,28 por {{Fmtn|1000}} na UE.<ref>{{citar web|último =The World Factbook|título=Rank Order—Death rate|publicado=Central Intelligence Agency|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2066rank.html|acessodata=25 de abril de 2009}}</ref> No entanto, em 2012, o índice de nascimentos igualou-se ao de mortes, devido ao aumento da [[fertilidade]] e da queda na mortalidade.<ref>{{citar web|url=http://www.gks.ru/bgd/free/B13_00/IssWWW.exe/Stg/dk04/8-0.htm||título=Resident population|publicado=GKS.ru|acessodata=26 de julho de 2013}}</ref> Em 2009, a Rússia registrou a taxa de natalidade mais elevada desde o colapso da URSS: 12,4 nascimentos por {{Fmtn|1000}} habitantes. Em 1991, o número era de 12,1, e em 1983, a taxa de natalidade teve seu pico, com 17,6 nascimentos a cada {{Fmtn|1000}} habitantes.<ref name=gks/><ref>{{citar web|url=http://demoscope.ru/weekly/ias/ias05.php?tim=0&cou=26&terr=1&ind=26&Submit=OK|título=Russian birth rates 1950-2008}} Demoscope Weekly. acessado em outubro de 2010.</ref>
{{Cidades mais populosas da Rússia}}
 
A Federação da Rússia é reconhecida pelo [[direito internacional]] como o Estado sucessor da [[União Soviética]].<ref name="uk2">{{citar web|título=Country Profile: Russia|publicado=Foreign & Commonwealth Office of the United Kingdom|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/europe/russia/|acessodata=27 de dezembro de 2007|arquivourl=https://web.archive.org/web/20080408194416/http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/europe/russia/|arquivodata=2008-04-08|urlmorta=yes}}</ref> A Rússia continua a cumprir os compromissos internacionais da URSS e assumiu sua sede permanente no [[Conselho de Segurança da ONU]], a participação em outras organizações internacionais, os direitos e obrigações decorrentes de tratados internacionais e os bens e dívidas. A Rússia tem uma política externa multifacetada. Em 2009, o país mantinha relações diplomáticas com 191 países e tinha [[Missões diplomáticas da Rússia|144 embaixadas]]. A [[política externa]] é determinada pelo [[Presidente da Rússia|presidente]] e implementada pelo Ministério de Assuntos Estrangeiros da Rússia.<ref>{{citar web|autor =Kosachev. K|título=Russian Foreign Policy Vertical|publicado=Russia In Global Affairs|url=http://eng.globalaffairs.ru/numbers/8/578.html}}</ref>
 
[[Ficheiro:BRICS leaders family photo, 2018 (2).jpg|thumb|esquerda|O presidente [[Vladimir Putin]] durante reunião na 10ª Cúpula do [[BRICS]] (2018), JoanesburgoJohanesburgo, na África do Sul]]
Como o sucessor de uma antiga [[superpotência]], a condição [[geopolítica]] da Rússia tem sido muito debatida, principalmente com relação aos pontos de vista [[Polaridade nas relações internacionais|unipolar e multipolar]] no [[Sistema Internacional de Estados|sistema político global]]. Enquanto a Rússia é comumente aceita como uma [[grande potência]], nos últimos anos tem sido caracterizada por uma série de líderes mundiais,<ref>{{citar web|url=http://articles.latimes.com/2009/sep/11/world/fg-russia-chavez11|título=Venezuela's President Hugo Chavez recognizes independence of breakaway Georgia republics|autor=Megan K. Stack|data=9 de setembro de 2009}}</ref><ref>{{citar web|url=http://freevideo.rt.com/video/1759|título=Netanyahu declares Russia as superpower|acessodata=2010-12-09|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110430182020/http://freevideo.rt.com/video/1759|arquivodata=2011-04-30|urlmorta=yes}} Russia Today News 15 de fevreiro de 2010</ref> estudiosos,<ref>{{citar web|url=http://georgiandaily.com/index.php?option=com_content&task=view&id=6527|título=Superpower Reborn|autor=Ronald Steel|publicado=New York Times|data=24 de agosto de 2008}}</ref> comentaristas e políticos como uma [[superpotência emergente]].<ref>{{citar web|url=http://books.google.com/books?id=eC6HdSYZhRgC|título=Russia in the 21st Century The Prodigal Superpower|autor=Steven Rosefielde|editora=Cambridge University Press|data= 2004}}</ref> No entanto, tal caracterização tem sido contestada por outros.<ref>{{citar web|url=http://atlanticreview.org/archives/1160-Is-Russia-a-Superpower-Cold-War-II.html|título=Is Russia a Superpower? Cold War II?}} Atlantic Review, 25 de agosto de 2008.</ref><ref>{{citar web|url=http://www.spiegel.de/international/world/0,1518,584631,00.html|título=What's Looming in Ukraine Is more Threatening than Georgia|publicado=[[Der Spiegel]]|data=16 de outubro de 2008|citação= "Nikonov: Russia is not a superpower and won't be one for the foreseeable future. But Russia is a great power. It was one, it is one and it will continue to be one."}}</ref>
 
[[imagem:Rostov's region combain.jpg|thumb|esquerda| A Rússia é um dos maiores produtores de [[cereais]] do mundo. Na foto, uma colheitadeira em um campo de [[trigo]] no [[Oblast de Rostov]]]]
 
A área total de terra cultivada na Rússia foi estimada em 1. 237. 294 [[km²]] em 2005, a quarta maior do mundo.<ref>{{citar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/fields/2097.html|título=Land Use}} [[CIA World Factbook]]</ref> No período de 1999-2009, a agricultura da Rússia demonstrou um crescimento constante<ref>{{citar web|url=http://www.gks.ru/bgd/regl/b09_02/IssWWW.exe/Stg/d010/1-03.doc|título=Data by Rosstat|lingua=ru}}</ref> e o país passou de importador de [[Cereal|grãos]], para terceiro maior exportador de grãos, depois da [[União Europeia]] e dos [[Estados Unidos]].<ref>{{citar web|url=http://www.rosbankjournal.ru/news/11588|título=Russia takes the third place in the world by grain exports|website=rosbankjournal.ru|lingua=ru}}</ref> A produção de [[carne]] cresceu de 6. 813. 000 toneladas em 1999, para 9. 331. 000 toneladas em 2008, e continua a crescer.<ref>{{citar web|url=http://www.gks.ru/bgd/regl/b09_02/IssWWW.exe/Stg/d010/1-04.doc|título=Data by Rosstat|lingua=ru}}</ref>
 
Esta restauração da [[agricultura]] foi apoiada pela política de crédito do governo, ajudando os agricultores e as grandes empresas agrícolas privatizadas, que uma vez foram [[Kolkhoz|kolkhozes soviéticos]] e ainda possuem parte significativa das terras agrícolas do país.<ref>{{citar web|url=http://www.gks.ru/bgd/regl/b09_38/IssWWW.exe/Stg/d01/04-01.htm|título=Agricultural land by type of owners|publicado=Rosstat|data=2009|lingua=ru}}</ref> Enquanto as grandes explorações concentram-se principalmente na produção de produtos de grãos e [[pecuária]], pequenos lotes familiares particulares produzem [[batata]]s, [[legume]]s e [[fruta]]s.<ref>{{citar web|url=http://www.gks.ru/bgd/regl/b09_38/IssWWW.exe/Stg/d01/02-28.htm|título=Main agricultural products by type of owners|publicado=Rosstat|data=2009|lingua=ru}}</ref>
 
Com acesso a três dos [[oceano]]s do mundo ([[Oceano Atlântico|Atlântico]], [[Oceano Ártico|Ártico]] e [[Oceano Pacífico|Pacífico]]), as frotas de pesca da Rússia são uma das principais contribuintes do suprimento mundial de pescado. A captura total de peixes foi de 3. 191. 068 toneladas em 2005.<ref>{{citar web|url=http://www.guardian.co.uk/environment/datablog/2009/sep/02/fish-capture-country|título=Fish capture by country since 1950}} guardian.co.uk</ref> Tanto as exportações, quanto as importações de produtos da pesca e do mar, cresceram significativamente nos últimos anos, atingindo 2. 415/2. 036 milhões de dólares em 2008, respectivamente.<ref>{{citar web|url=http://www.gks.ru/bgd/regl/b09_13/IssWWW.exe/Stg/html4/15-07.htm|título=Exports and imports of fish and sea products|publicado=Rosstat|data=2009|lingua=ru}}</ref>
 
=== Turismo ===
[[imagem:Moscow State University crop.jpg|thumb|esquerda|[[Universidade Estatal de Moscou]]]]
 
Na Rússia há um sistema de [[educação]] gratuito garantido para todos os cidadãos pela [[Constituição russa de 1993|Constituição]],<ref>{{citar web|título=The Constitution of the Russian Federation|obra=(Article 43 §1)|url=http://www.constitution.ru/en/10003000-03.htm|acessodata=27 de dezembro de 2007}}</ref> no entanto, o ingresso ao [[ensino superior]] é altamente competitivo.<ref>{{citar web|autor=Smolentseva, A|título=Bridging the Gap Between Higher and Secondary Education in Russia|url=http://www.bc.edu/bc_org/avp/soe/cihe/newsletter/News19/text13.html|acessodata=27 de dezembro de 2007|arquivourl=https://web.archive.org/web/20071123162906/http://www.bc.edu/bc_org/avp/soe/cihe/newsletter/News19/text13.html|arquivodata=2007-11-23|urlmorta=yes}}</ref> Como resultado da grande ênfase em [[Ciência e tecnologia na Rússia|ciência e tecnologia]] na educação, médicos, matemáticos, cientistas e pesquisadores aeroespaciais russos são, geralmente, altamente qualificados.<ref>{{citar web|publicado=U.S. Department of State|título= Background Note: Russia|url=http://www.state.gov/r/pa/ei/bgn/3183.htm|acessodata=2 de janeiro de 2008}}</ref>
 
Desde 1990, a formação escolar de onze anos é utilizada no país. A educação estatal em escolas secundárias é gratuita, a primeira fase do ensino superior, a nível universitário, é gratuito, mas com reservas, já que uma parte significativa dos estudantes está inscrito para pagamento integral, devido ao fato de as instituições do Estado começarem a abrir posições comerciais nos últimos anos.<ref>{{citar web|título=Higher Education Institutions|url=http://www.gks.ru/free_doc/2007/b07_12/08-10.htm|publicado=[[Rosstat]]|acessodata=1 de janeiro de 2008|arquivourl=https://web.archive.org/web/20120303145808/http://www.gks.ru/free_doc/2007/b07_12/08-10.htm|arquivodata=2012-03-03|urlmorta=yes}}</ref>
Nos últimos anos, a Rússia tem sido frequentemente descrita na [[mídia]] como uma "''superpotência energética''".<ref>{{citar web|url=http://online.wsj.com/article/SB10001424052748704129204575505373365685564.html|título=Russia, China in Deal On Refinery, Not Gas|autor=Jacob Gronholt-Pedersen|publicado=Wall Street Journal|data=22 de setembro de 2010}}</ref><ref>{{citar web|url=http://www.businessinsider.com/why-russia-is-about-to-change-the-world-2010-1|título=Did A New Pipeline Just Make Russia The Most Important Energy Superpower By Far|autor=Graham Winfrey|publicado=Business Insider|data=6 de janeiro de 2010}}</ref> O país tem as maiores reservas mundiais de [[gás natural]],<ref>{{citar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2179rank.html|título=CIA World Factbook|acessodata=2010-12-09|arquivourl=https://web.archive.org/web/20130309174844/https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2179rank.html|arquivodata=2013-03-09|urlmorta=yes}} Acessado em 5 de outubro de 2010.</ref> a 8ª maior reserva de [[petróleo]]<ref>{{citar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2178rank.html|título=CIA World Factbook|acessodata=2010-12-09|arquivourl=https://web.archive.org/web/20121020171232/https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2178rank.html|arquivodata=2012-10-20|urlmorta=yes}} Acessado em 5 de outubro de 2010.</ref> e a segunda maior reserva de [[carvão]].<ref>{{citar web|url=http://www.bp.com/liveassets/bp_internet/globalbp/globalbp_uk_english/reports_and_publications/statistical_energy_review_2007/STAGING/local_assets/downloads/spreadsheets/statistical_review_full_report_workbook_2007.xls|título=BP Statistical review of world energy June 2007|publicado=BP|formato=XLS|data=Junho de 2007|acessodata=22 de outubro de 2007}}</ref> A Rússia é o maior [[exportador]]<ref>{{citar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2183rank.html|título=CIA World Factbook|acessodata=2010-12-09|arquivourl=https://web.archive.org/web/20090114055257/https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2183rank.html|arquivodata=2009-01-14|urlmorta=yes}} Acessado em 5 de outubro de 2010.</ref> e o segundo maior produtor de [[gás natural]] do mundo,<ref>{{citar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2180rank.html|título=CIA World Factbook|acessodata=2010-12-09|arquivourl=https://web.archive.org/web/20120921064904/https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2180rank.html|arquivodata=2012-09-21|urlmorta=yes}} Acessado em 5 de outubro de 2010.</ref> ao mesmo tempo em que é o segundo maior exportador<ref>{{citar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2176rank.html|título=CIA World Factbook|acessodata=2010-12-09|arquivourl=https://web.archive.org/web/20120127201033/https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2176rank.html|arquivodata=2012-01-27|urlmorta=yes}} Acessado em 5 de outubro de 2010.</ref> e o maior produtor de [[petróleo]] do planeta,<ref>{{citar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2173rank.html|título=CIA World Factbook}} Acessado em 5 de outubro de 2010.</ref> embora dispute o último estatuto com a [[Arábia Saudita]], de tempos em tempos. Pelo comprimento total de [[gasoduto]]s, a Rússia possui a segunda maior rede do planeta, atrás apenas da dos [[Estados Unidos]]. Atualmente, muitos projetos de novos gasodutos estão sendo realizados, incluindo os gasodutos ''[[Nord Stream]]'' e ''[[South Stream]]'', que têm por objetivo transportar o [[gás natural]] à [[Europa]], e o [[Oleoduto Sibéria-Pacífico|Oleoduto da Sibéria e do Pacífico]], para o Extremo Oriente, [[China]], [[Japão]] e [[Coreia do Sul]].<ref name=asian1>{{citar notícia |url= http://www.atimes.com/atimes/Central_Asia/GD29Ag01.html |título= China beats Japan in Russian pipeline race |primeiro = John |último = Helmer |jornal= Asia Times |data=29/04/2005 |acessodata=29/11/2008}}</ref>
 
A Rússia é o terceiro maior produtor de [[eletricidade]] do mundo<ref>{{citar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2038rank.html|título=CIA World Factbook}} Acessado em 5 de outubro de 2010.</ref> e o quinto maior produtor de [[energia renovável]], este último devido à produção [[hidroeléctrica]] bem desenvolvida no país.<ref>{{citar web|url=http://www.bp.com/liveassets/bp_internet/globalbp/globalbp_uk_english/reports_and_publications/statistical_energy_review_2008/STAGING/local_assets/2009_downloads/statistical_review_of_world_energy_full_report_2009.xls|título=BP Statistical Review of World Energy June 2009: Hydroelectricity consumption|acessodata=29/10/2010}}</ref> Grandes [[usinas hidrelétricas]] são construídas na [[Rússia Europeia]] ao longo de grandes rios, como o [[Rio Volga|Volga]]. A parte asiática da Rússia também possui um grande número de importantes usinas hidrelétricas, porém o gigantesco potencial hidrelétrico da [[Sibéria]] e do Extremo Oriente russo permanece largamente inexplorado. O país foi o primeiro país a desenvolver a [[energia nuclear]] para fins civis e construiu a primeira [[usina nuclear]] de energia do mundo. Atualmente, o país é o quarto maior produtor de [[energia nuclear]].<ref>{{citar web|url=http://www.iaea.org/programmes/a2/index.html|título=Nuclear Power Plant Information}} [[International Atomic Energy Agency]]. Acessado em 12 de junho de 2006.</ref> A energia nuclear na Rússia é gerenciada pela estatal ''[[Rosatom|Rosatom Corporation]]''. O setor está se desenvolvendo rapidamente, com o objetivo de aumentar a quota total de energia nuclear a partir dos 16,9% atuais para 23% até 2020. O governo russo pretende atribuir 127. 000 milhões de [[rublo]]s (5,42 bilhões de dólares) para um programa federal dedicado à próxima geração de tecnologia de energia nuclear. Cerca de 1 trilhão de rublos (42. 700 milhões de dólares) deverá ser atribuído do orçamento federal para a energia nuclear e para o desenvolvimento da [[indústria]] até 2015.<ref>{{citar web|url=http://amur.kp.ru/daily/24458/620649/|título=Russia builds nuclear power stations all over the world|publicado=amur.kp.ru|lingua=ru}}</ref>
 
=== Ciência e tecnologia ===
{{Artigo principal|Ciência e tecnologia na Rússia}}
 
A [[Ciência e tecnologia na Rússia|ciência e tecnologia]] na Rússia floresceram na época do [[Iluminismo]], quando [[Pedro, o Grande]] fundou a [[Academia de Ciências da Rússia]] e [[Universidade Estatal de São Petersburgo]] e o [[polímata]] [[Mikhail Lomonosov]] estabeleceu a [[Universidade Estatal de Moscou]], pavimentando o caminho para uma forte tradição nativa de aprendizagem e inovação. Nos séculos XIX e XX o país produziu um grande número de cientistas notáveis, fazendo importantes contribuições para a [[física]], [[astronomia]], [[matemática]], [[computação]], [[química]], [[biologia]], [[geologia]] e [[geografia]]. Inventores e engenheiros russos destacaram-se em áreas como [[engenharia elétrica]], [[construção naval]], [[Tecnologia aeroespacial|aeroespacial]], [[armamento]]s, [[comunicações]], [[informática]], [[Energia nuclear|tecnologia nuclear]] e [[tecnologia espacial]].<ref name=siddiqi2000>{{citar livro |último = Siddiqi |primeiro = Asif A |url = http://history.nasa.gov/printFriendly/series95.html |título = Challenge To Apollo: The Soviet Union and the Space Race, 1945-1974 |publicado = [[NASA]] |arquivourl = https://web.archive.org/web/20061008193942/http://history.nasa.gov/printFriendly/series95.html |arquivodata = 2006-10-08 |acessodata = 2015-10-02 |urlmorta = no }}</ref>
 
As realizações da Rússia no domínio da [[tecnologia espacial]] e [[exploração espacial]] têm origem nos trabalhos de [[Konstantin Tsiolkovski]], o pai da austronáutica teórica.<ref>{{citar web|url=http://www.aiaa.org/index.cfm|título=American Institute of Aeronautics and Astronautics|publicado=Aiaa.org|acessodata=2 de janeiro de 2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20120104012817/http://www.aiaa.org/index.cfm|arquivodata=2012-01-04|urlmorta=yes}}</ref> Seus trabalhos inspiraram os principais engenheiros de [[foguete]]s soviéticos, como [[Sergei Koroliov]], [[Valentin Glushko]] e muitos outros que contribuíram para o sucesso do [[programa espacial soviético]] nos estágios iniciais da [[corrida espacial]] e também posteriormente.<ref name=siddiqi2000/> Em 1957, o primeiro [[satélite artificial]] em [[órbita]] da [[Terra]], o ''[[Sputnik 1]]'', foi lançado. Em 1961, a primeira viagem humana ao [[Espaço sideral|espaço]] que teve êxito foi feita por [[Iuri Gagarin]], e muitos outros [[Linha do tempo da exploração espacial|recordes da exploração espacial]] soviética e russa se seguiram, inclusive com a primeira [[caminhada espacial]] realizada por [[Aleksei Leonov]], o primeiro veículo de exploração espacial, o ''[[Lunokhod 1]]'', e a primeira [[estação espacial]], a ''[[Salyut 1]]''.<ref name=siddiqi2000/>
 
Atualmente, a Rússia é o país que mais lança satélites no mundo<ref>{{citar web|url=http://www.russianspaceweb.com/2009.html|título=Russian space program in 2009: plans and reality|publicado=Russianspaceweb.com|acessodata=27 de abril de 2010}}</ref> e é o único fornecedor de serviços de transporte para [[turismo espacial]]. Com todas estas conquistas, no entanto, desde a [[dissolução da União Soviética]], o país ficou atrasado em relação ao [[Mundo ocidental|Ocidente]] em uma série de tecnologias, principalmente aquelas relacionadas à [[conservação de energia]] e produção de [[bens de consumo]]. A crise dos anos 1990 levou à redução drástica do apoio do [[Estado]] à [[ciência]] e a uma ''[[fuga de cérebros]]'' da Rússia. Nos anos 2000, na onda de um novo ''boom'' econômico, a situação da [[Ciência e tecnologia na Rússia|ciência e tecnologia]] na Rússia tem melhorado e o governo lançou uma campanha destinada à modernização e à inovação. O ex-presidente russo, [[Dmitri Medvedev]], formulou cinco prioridades principais para o desenvolvimento tecnológico do país: o uso eficiente de [[energia]], a [[informática]], incluindo os produtos comuns e os produtos combinados com a [[tecnologia espacial]], a [[energia nuclear]] e os produtos farmacêuticos.<ref>{{citar web|url=http://en.rian.ru/russia/20091011/156428675.html|título=Medvedev outlines priorities for Russian economy's modernization}} RIA Novosti</ref> A Rússia também está a desenvolver o [[GLONASS]], um [[sistema de navegação por satélite]] global à semelhança do [[GPS]] estadunidense e do [[Galileo]] da União Europeia, e construindo a primeira usina nuclear móvel.<ref>{{citar notícia |último = Kramer |primeiro = Andrew E. |título= Russia Challenges the U.S. Monopoly on Satellite Navigation |publicado= New York Times |data= 2007-04-07 | url = http://www.nytimes.com/2007/04/04/business/worldbusiness/04gps.html |acessodata= 2007-04-12
}}</ref>
 
[[imagem:Vladivostok distencemonument.JPG|thumb|esquerda|Monumento que marca o quilômetro {{formatnum:9288}}, no final da [[Ferrovia Transiberiana]], em [[Vladivostok]]]]
 
O [[transporte ferroviário]] na Rússia está, na maior parte, sob o controle do [[monopólio]] da [[estatal]] ''[[Ferrovias Russas]]''. Os lucros da empresa respondem por mais de 3,6% do [[PIB]] da Rússia e trata 39% do tráfego de [[carga]] total, incluindo [[gasoduto]]s e [[oleoduto]]s, e mais de 42% do tráfego de passageiros.<ref name=rzd>{{citar web|url=http://www.eng.rzd.ru/isvp/public/rzdeng?STRUCTURE_ID=4|título=Russian Railways|publicado=Eng.rzd.ru|acessodata=2 de janeiro de 2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20091204130526/http://eng.rzd.ru/isvp/public/rzdeng?STRUCTURE_ID=4|arquivodata=2009-12-04|urlmorta=yes}}</ref> A extensão total das vias férreas comumente usadas ultrapassa os 85, 500 [[km]],<ref name=rzd/> perdendo apenas para os [[Estados Unidos]]. Há mais de 44. 000&nbsp;km de linhas eletrificadas,<ref>{{citar web|url=http://invest.gov.ru/en/government_support/sectors/infrastructure/|título=Invest in Russia–Infrastructure|publicado=Invest.gov.ru|acessodata=27 de abril de 2010}}</ref> a maior rede do mundo e, adicionalmente, existem mais de 30. 000&nbsp;km de linhas de carga não comum. As ferrovias da Rússia, ao contrário da maioria do mundo, usam de [[bitola larga]] de 1, 520 [[mm]], com exceção de 957&nbsp;km na ilha [[Sacalina]], que tem bitola estreita de 1. 067&nbsp;mm. A [[estrada de ferro]] mais famosa da Rússia é a [[Transiberiana]], abrangendo um recorde de sete [[fusos horários]], sendo o terceiro mais longo serviço contínuo do mundo, depois dos serviços das linha de [[Moscou]]-[[Vladivostok]] (9, 259 [[km]]), Moscou-[[Pyongyang]] (10, 267&nbsp;km)<ref>{{citar web|url=http://www.poezda.net/en/web|título=CIS railway timetable}} route No. 002, Moscow-Pyongyang, August 2009. Note: several different routes have the same number.</ref> e [[Quieve]]-Vladivostok (11, 085&nbsp;km).<ref>{{citar web|url=http://www.poezda.net/en/web|título=CIS railway timetable}} route No. 350, Quieve-Vladivostok, Agosto de 2009.</ref>
 
Em 2006, a Rússia tinha {{fmtn|933000|km}} de [[estrada]]s, das quais {{fmtn|755000}} eram pavimentadas.<ref>{{citar web|url=http://www.gks.ru/bgd/regl/b08_11/IssWWW.exe/Stg/d02/18-09.htm|título=Rosstat statistics on length of roads|acessodata=10 de junho de 2009}}</ref> Algumas destes compõem o sistema de [[auto-estrada]]s federais russas. Com uma grande área de terra, a densidade de estradas é a menor de todos os países do [[BRIC]].<ref>{{citar web|url=http://www.iraptranstats.net/rus|título=Transport in Russia|acessodata=17 de fevereiro de 2009|obra=International Transport Statistics Database|publicado=iRAP}}</ref>