Allianz Parque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Arena Palestra Itália)
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou secção contém informações sobre uma construção futura.
É provável que contenha informações de natureza especulativa, e seu conteúdo pode mudar drasticamente.
Tower crane colorize.png


Allianz Parque
Foto do Allianz Parque, Março de 2014, com 80% Concluído
Nome Allianz Parque
Características
Local Rua Turiaçu, São Paulo, SP, Brasil
Coordenadas
Gramado Grama Natural (105x68)
Capacidade Até 43,000 pessoas (partidas FIFA)

Até 12,000 pessoas (anfiteatro)

Até 55,000 espectadores (shows/concertos)
Construção
Data 2010 a 2014
Custo R$ 630 milhões
Inauguração
Data Junho de 2014[1]
Último Jogo
Outras informações
Proprietário Palmeiras
Administrador WTorre
Arquiteto Edo Rocha
Mandante Palmeiras

O Allianz Parque[2] , conhecido popularmente como Arena Palestra Itália[3] ou Arena do Palmeiras, será uma arena multiuso destinada a receber shows, concertos, eventos corporativos e, principalmente, partidas de futebol da Sociedade Esportiva Palmeiras.

O projeto prevê a construção de um dos mais modernos espaços multiuso do País, e o seu estádio atende às exigências da Fifa, credenciando-o para os torneios esportivos mais relevantes. O novo estádio do Palmeiras está sendo construído no mesmo local do antigo Estádio Palestra Itália[4] , entre os distritos de Barra Funda e Perdizes, na cidade de São Paulo.

Com construção iniciada em 2010, a previsão é de que as obras sejam finalizadas até o primeiro semestre de 2014[5] , ano do centenário do clube e também da realização da Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A transformação do antigo Estádio Palestra Itália em arena é fruto de um acordo assinado entre o Palmeiras e a empresa WTorre Properties/Arenas, do Grupo WTorre. A WTorre administrará o local durante 30 anos, sendo que o Palmeiras terá participação integral nas receitas de partidas de futebol durante o período. De acordo com o contrato entre Palmeiras e WTorre, todas as despesas para a utilização da arena, como as de luz, água, segurança, limpeza, seguros, manutenções do gramado, ficarão a cargo da empreendedora. Com a contratação de uma empresa especialista para gerir o complexo, será repassado ao clube um percentual crescente das receitas com patrocínios, camarotes e shows, entre outros. Ao final desse período de 30 anos, o Palmeiras integraliza todo o empreendimento, encerrando-se o acordo com a Wtorre.

Características[editar | editar código-fonte]

Canteiro de obras da transformação do Estádio Palestra Itália em Arena em 2011

Batizado como Allianz Parque, o estádio terá 43 mil lugares cobertos, 160 camarotes para mais de 3 mil pessoas, um restaurante panorâmico, lanchonetes, lojas, centro de convenções e estacionamento para até 2 mil carros. Ainda há a expectativa de serem disponibilizados mais 5 mil lugares no estádio em jogos nos quais o padrão Fifa não seja obrigatório. Nessas ocasiões, cadeiras da parte de trás do gol poderiam ser retiradas e as arquibancadas voltariam a serem usadas. Eventos múltiplos, como shows e concertos, poderão receber até 55 mil espectadores. O projeto prevê ainda espaço para até 1 mil profissionais da imprensa.

O complexo Allianz Parque conta com um Edifício Poliesportivo, erguido onde antes se localizava o antigo ginásio do clube. O novo prédio tem cerca de 10 mil metros quadrados, distribuídos por 4 pavimentos e é servido por 3 elevadores. No térreo, há um ginásio com capacidade para aproximadamente 1.500 torcedores, que abrigará partidas de basquete, futsal e vôlei. Dois pisos intermediários, com cerca de 2 mil metros quadrados de área cada um, irão abrigar quadras de tênis e poliesportivas. Na cobertura do edifício, há uma quadra de futebol society de gramado artificial semelhante à grama natural, oferecendo um espaço de quase 2 mil metros a mais de 48 metros de altura. Uma solução de arquitetura, inédita no Brasil, permite que dentro do edifício os sócios do clube possam apreciar a paisagem externa, além de usufruir de ventilação e grande quantidade de luz natural.

Demolição das numeradas cobertas e descobertas. Imagem de fevereiro de 2011

Já o Edifício Multiuso, de autoria do arquiteto e Prof. Tomás Taveira, tem aproximadamente 13 mil metros quadrados, distribuídos por 6 andares. O prédio conta com 8 vestiários e 12 sanitários, 6 elevadores e irá abrigar as áreas administrativas do clube, os esportes indoor, como judô e ginástica artística, e até um espaço nobre, na cobertura, que oferece vista panorâmica do clube e da região.

Os novos edifícios vêm se somar às quadras de tênis, poliesportivas, ao prédio dos novos vestiários de piscina e à nova sauna do clube, conjunto de obras que foram erguidas a partir de Novembro de 2010 pela WTorre e que fazem parte do acordo assinado entre o Clube e a Empresa.

As atrações do Allianz Parque estarão abertas ao público em geral. O acesso às instalações do clube, entretanto, permanece restrito aos associados da Sociedade Esportiva Palmeiras.

Implementações[editar | editar código-fonte]

No dia 6 de outubro de 2011, Palmeiras e WTorre anunciaram a parceria com a Anschutz Entertainment Group (AEG)[6] , maior administradora de arenas do mundo, para a gestão de eventos na arena do clube paulistano.

Em 24 de abril de 2013, a WTorre anunciou a venda do "naming rights" da arena para a Allianz Seguros, empresa alemã e maior do mundo nesse segmento, que já tinha outros exemplos de negociação desse tipo em mais quatro arenas esportivas: a Allianz Arena, na Alemanha; o Allianz Stadium, na Austrália; o Allianz Park, na Inglaterra; e a Allianz Riviera, na França. O acordo da WTorre com a seguradora tem duração de 20 anos, com opção de renovação por mais 10 ao fim do período. O valor do negócio é estimado em R$ 300 milhões[7] .

Em 29 de abril de 2013, a seguradora anunciou três opções de nome para a Nova Arena: Allianz Parque, Allianz Center e Allianz 360º [8] . A escolha seria decidida pelo voto dos torcedores no site oficial do empreendimento. Em 6 de junho de 2013 com mais de 620 mil votos, foi anunciado o nome Allianz Parque.

A WTorre e o Palmeiras gastaram ao todo de R$ 15 milhões em 64 câmeras de segurança de alta tecnologia, com reconhecimento facial e imagem de alta definição. Essa compra foi feita para identificar procedimentos fora do padrão de comportamento desejável de torcedores na arena[9] .

No início de 2014, a WTorre anunciou a aquisição de dois telões de alta definição para serem instalados na parte interna do estádio. Com custo aproximado de R$ 7 milhões, os equipamentos terão formato de 13,44m x 7,68m, cada um com área superior a 103m². Os telões serão colocados nas extremidades dos gramados, atrás dos gols, permitindo a exibição de qualquer conteúdo sem a necessidade de adaptação. Os modelos de led serão instalados com uma estrutura branca e fugirão dos padrões convencionais, com uma resolução (de 16mm) 20% superior em relação aos demais do mercado. Desta forma, todos os 43.603 assentos do estádio terão uma boa visualização das imagens.

Com relação à questão ambiental, o Allianz Parque contará com um sistema de captação de água da chuva que cair sobre a área da cobertura do estádio, que tem 23 mil metros quadrados. Assim, toda a água captada será reutilizada dentro das dependências da arena.

Outra alteração no projeto inicial será realizada na cobertura do estádio, que contará com uma tecnologia inédita no Brasil. Na inovação, projetada pela Usiminas, a cobertura será totalmente integrada à fachada, isto é, sem as pilastras de sustentação, o que culminará no aumento do espaço para circulação dos visitantes. A cobertura terá função termoacústica, que propiciará sensações mais agradáveis ao público, reduzindo em até 2ºC a temperatura entre o nível do campo e as cadeiras superiores. Haverá também uma redução significativa dos ruídos provindos da área externa do complexo.

Em torno do campo, será instalada uma cobertura transparente de policabornato que deverá garantir o máximo de insolação ao gramado. O Estádio Aviva, em Dublin, e o Etihad Stadium, em Manchester, são alguns dos poucos no mundo que usam essa tecnologia.

Acessibilidade[editar | editar código-fonte]

De acordo com a construtora, ao todo serão 1.400 lugares para deficientes físicos, a Arena terá rampas de acesso, 66 banheiros acessíveis e exclusivos em todos os pavimentos, 396 espaços para cadeirantes, 754 assentos para pessoas com mobilidade reduzida, 255 cadeiras para obesos e 49 vagas para portadores de necessidades especiais (PNEs), além de 15 elevadores, 26 escadas rolantes e bilheterias especiais. Assim, as adaptações ultrapassam as exigências da norma brasileira e também da Fifa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]