Gasoduto Urucu-Coari-Manaus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Gasoduto Urucu-Coari-Manaus é um gasoduto brasileiro que liga o Pólo Arara, localizado na região petrolífera de Urucu (município de Coari, Amazonas) à Refinaria Isaac Sabbá, em Manaus,[1] num trajeto de 663,2 km, somado a 139,3 km divididos em nove ramais para Coari, que abastece sete municípios.[2][3] Foi construído pela Petrobras junto às sociedade de propósito específico Transportadora Urucu Manaus S/A Transportadora Associada de Gás S/A[4] e é operado por sua subsidiária Transpetro.[5] Orçada inicialmente em R$ 2,4 bi[6] teve o custo final de R$ 4,48 bi.[7] Sua construção foi parte do Programa de Aceleração do Crescimento e recebeu R$ 2,49 bi de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES.)[3] Sua vazão é de 4,1 milhões de metros cúbicos diários.[8] Está em operações desde 2009.[2]

Trajeto[editar | editar código-fonte]

O Gasoduto Urucu-Coari-Manaus atravessa sete municípios e a todos abastece: Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Manacapuru e Iranduba. Fornece gás para sete usinas termoelétricas: Manauara, Tambaqui, Jaraqui, Aparecida, Mauá, Cristiano Rocha e Ponta Negra - Urucu-Coari-Manaus, gerando 760 MW de energia elétrica. Seu percurso divide-se em três trechos: A, B1 e B2.

Trecho A[editar | editar código-fonte]

O primeiro trecho do gasoduto é o GLPduto Urucu-Coari, de 279 km e 10 polegadas de diâmetro nominal que inclui também sistema de transmissão de dados via fibra ótica, que liga o Pólo Arara ao Terminal Aquaviário de Urucu.[9] Foi construído pelo consórcio OAS/Eteco por aproximadamente R$ 342,60 mi.[10]

Trecho B1[editar | editar código-fonte]

O segundo trecho liga Coari a Anamã num trecho de 196 km, grande parte em área alagável.[11] Foi construído pelo consórcio Andrade Gutierrez/Carioca Engenharia pelo valor de aproximadamente R$ 667 mi.[12] Seu diâmetro nominal é de 20 polegadas.[2]

Trecho B2[editar | editar código-fonte]

O trecho B2, Anamã-Manaus se estende por 186 km e foi construído pelo consórcio Camargo Correa/Skanska. Foi orçado em R$ 428 mi.[12]

Referências

  1. de, Menezes, Alberto Luzerno (27 de fevereiro de 2012). «Gasoduto Urucu-Coari-Manaus: impacto ambiental e socioeconômico na cidade de Manacapuru-AM» 
  2. a b c «Gasoduto Urucu-Coari-Manaus: Principais Operações | Petrobras». Petrobras. Consultado em 18 de maio de 2016 
  3. a b «BNDES libera R$ 2,49 bi para gasoduto Urucu-Manaus - Economia - Estadão». Estadão. Consultado em 18 de maio de 2016 
  4. «Petrobras – Fatos e Dados » Resposta à Folha sobre TCU e gasoduto Urucu-Coari-Manaus». Consultado em 18 de maio de 2016. Arquivado do original em 5 de junho de 2016 
  5. «Presidente Luiz Inácio Lula da Silva inaugura Gasoduto Urucu-Manaus nesta quinta-feira». www.transpetro.com.br. Consultado em 18 de maio de 2016 
  6. «Gasoduto Urucu-Coari-Manaus desviou R$ 6,6 mi para partidos e funcionários da Petrobras | Notícias | Acritica.com - Manaus - Amazonas». acritica.uol.com.br. Consultado em 18 de maio de 2016. Arquivado do original em 11 de maio de 2016 
  7. «Petrobras - Fatos e Dados - Gasoduto Urucu-Manaus: respostas à Folha de S. Paulo». Petrobras. Consultado em 18 de maio de 2016 
  8. «DownstreamToday.com - News and Information for the Downstream Oil and Gas Industry». www.downstreamtoday.com. Consultado em 18 de maio de 2016 
  9. «GLPduto Urucu-Coari». oas.com. Consultado em 18 de maio de 2016 
  10. «Obras do gasoduto Urucu-Manaus são iniciadas - Economia - Estadão». Estadão. Consultado em 18 de maio de 2016 
  11. «Portal Fator Brasil». www.revistafatorbrasil.com.br. Consultado em 18 de maio de 2016 
  12. a b «Gasoduto Coari-Manaus e Petrolífera de Urucu: Um marco no desenvolvimento do país» (PDF). Comissão da Amazônia, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional da Câmara dos Deputados. Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados. Consultado em 18 de maio de 2016. Arquivado do original (PDF) em 10 de junho de 2016